Ocorreu um erro neste gadget

Ola´! Que bom que passou por aqui, seja bem vindo! ! Espero que goste e volte sempre!!!!

"O Segredo da vitória, em todos os setores da vida, permanece na arte de aprender,imaginar,esperar e fazer mais um pouco."
( Chico Xavier - ditado por André Luiz )

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

CURIOSIDADES CARNAVALESCAS


Embora o Carnaval faça parte do calendário cristão - marca a despedida dos prazeres mundanos antes do início dos rigores da Quaresma, período de purificação e penitência - a festa existia muito antes de Cristo. No início era um cultu agrário com danças e cânticos em comemoração às colheitas.

É possível que estas festas remontem a 10000 a.C., quando a humanidade começou a plantar. Só no século VII, na Grécia, o Carnaval foi oficializado como festejo à honra de Dionísio, deus do êxtase e do entisiasmo. A partir daí os carnavais passaram a incluir orgias sexuais e etílicas, uma característica que chegou ilesa aos dias de hoje.

As festas eram tão populares que a Igreja desistiu de combatê-las e, em 590. oficializou a folia na vã tentativa de conter a libertinagem. A palavra "Carnaval está ligada à tradição cristã de não comer carne no período que precede à Paixão de Cristo. Deriva do latim "carnelevamen" (tirar a carne) que depois modificou-se para "carne, vale", que significa "adeus, carne".

Carnaval pelo Mundo

Veneza, Itália - Turistas se acotovelam para ver foliões vestidos de arlequins, colombinas e pierrôs. A festa é do século XI, tem programação variável, acontecendo normalmente em fevereiro.

Londres, Inglaterra - O Carnaval Cluber de Notting Hill é a maior festa de rua da Europa e disputa o posto de segundo maior carnaval do mundo, dura 2 dias e acontece no último final de semana de agosto.

Port of Spain, Trinidad e Tobago - O maior carnaval do Caribe, onde predominando rítmos caribenhos como o calipso. Tem programação variável e acontece em geral em fevereiro.

Nova Orleans. EUA - O Mardi Gras, terça-feira gorda, de Nova Orleans, é considerado o segundo maior carnaval do mundo. Cerca de 1 milhão de pessoas participaram nos últimos anos.


Origem do Confete

Na Roma Antiga, os lupercos, sacerdotes de Pã, saíam no dia 15 de fevereiro só com sangue de cabra sobre o corpo, perseguindo as pessoas nas ruas. No Brasil, os portugueses faziam uma guerra de debaldes de água e lixo que chamavam de "entrudo", sem dança ou música. No começo do século passado, o molha-molha foi substituídio por confetes, serpentinas e lança-perfume.

Lança-Perfume

Você sabia que o lança-perfume foi a grande invenção do carnaval brasileiro? Surgiu em1906 no Rio de Janeiro e logo se espalhou de norte a sul do país. Era fabricado na Suíça pela Rodo, e produzidio em garrafinhas de vidro que provocavam grande número de acidentes. Em 1927 a Rodo lançou o produto em embalagens metálicas douradas, que eram comercializadas com a marca Rodouro.

Está na sua memória? Esta era a propaganda:

Um perfume suave eu espalho
Sou distinto, perfeito e não falho
Sou metal e no chão não estouro,
Sou o lança-perfume Rodouro.

E nos salões se cantava:

Me dá um Cheirinho
Sebastião Lopes

Me dá um lenço Mandarim
Bote um pouquinho deste cheirinho para mim.
Boto, bote.., bote mais um bocadinho
Com esse cheiro eu vou pro céu devagarinho.
O delegado não quer que se cheire isto não
Pode haver confusão no salão,
Mas bote, bote..., bote mais um bocadinho
Para alegrar o coração de um folião!

O lança-perfume foi industrializado na Argentina e importado para o Brasil do início até meados do século XX . Ele aparece no carnaval de 1906 no Rio de Janeiro, tornando-se popular como símbolo do carnaval. Originalmente era embalado em frascos dourados e utilizado até como uma brincadeira inocente e comum nos bailes do carnaval brasileiro, onde esguichava-se o produto entre os foliões causando uma sensação refrescante agradável e perfumada, porém aos poucos passou a ser inalado como uma droga que segundo algumas pesquisas não causa dependência física, mas poderá causar dependência psicológica, danos cerebrais e outros riscos à saúde.

A fabricação, o comércio e o uso do lança-perfume foram proibidos em solo nacional através do Decreto-Lei nº 51.211, de 18 de agosto de 1961, durante o governo do Presidente Jânio Quadros.

Blocos

O primeirio bloco que se tem notícia foi criado pelo sapateiro José Nogueira Paredes, em 1848, no Rio de Janeiro, quando ele saiu batendo o bumbo na horizontal, hoje o surdo, comvidando "quem quiser venha atrás". Nesta época, os blocos eram formados apenas por homens.

Cordões

Em 1886 os jornais chamaram de cordões os grupos de foliões mascarados e provocadores, que eram puxados por um mestre com apito o qual comandava tambores, cuícas e reco-recos, dando origem ao termo.

Corso

A moda do corso foi lançada em 1907, quando o carro das dfilhas do Presidente da República Afonso Pena percorreu a Avenida Central, hoje Avenida Rio Branco, no Rio de Janeiro, antes de lavá-las para o prédio paraonde iam assistir à folia.

Escola de Samba

O nome nasceu em 1928, no bairro do Estácio, Rio de Janeiro, numa roda de amigos, entre os quais estava o compositor Ismael Silva, que vivia cansado da fama de que sambista é malandro. Enquanto conversaca, ele olhou para a Escola Normal e teve a idéia de criar um grupo pacífico para mostrar a arte que tinha e desta idéia surgiu o nome Escola de Samba. Para esquentar o desafio entre batucadas, José Gomes da Costa, Zé - Espinguela da Mangueira, resolveu promover uma competição entre os compositores de algumas escolas, em 1929.
Nos anos 30, os puxadores entoavam um refrão de 4 linhas e os versadores improvisavam depois o resto do samba-enredo. Nesta época, as escolas eram protegidas por cordas seguradas por homens vestidos de baiana e que usavam canivetes amarrados nos tornozelos. Curioso, não é?
Assim começou a história de tantas Escolas de Samba que hoje brilham no Carnaval.

Grandes Sociedades

Estas eram associações de jovens da classe alta que saíam em enormes carros alegóricos, geralmente com mensagens políticas. A primeira grande sociedade foi Congresso das Sumidades Carnavalescas, criada em 1855, por profissionais liberais e saudade pelo escritor José de Alencar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário