Ocorreu um erro neste gadget

Ola´! Que bom que passou por aqui, seja bem vindo! ! Espero que goste e volte sempre!!!!

"O Segredo da vitória, em todos os setores da vida, permanece na arte de aprender,imaginar,esperar e fazer mais um pouco."
( Chico Xavier - ditado por André Luiz )

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Crendices do bem


Com a proximidade das festas de final de ano, resolvi postar esse texto que li na revista Claudia. Achei muito interessante e acho que vocês vão gostar.

A festa do réveillon foi trazida pelos portugueses, que faziam pedidos a seus santos católicos depois da ceia. A prática juntou-se à veneração dos negros aos orixás e dos índios às forças da natureza, formando um sopão de crenças.

* O hábito de comer 12 bagos de uva ou de sementes de romã à meia-noite do dia 31 de dezembro é comum no Sudeste.
A tradição manda guardar sementes secas de ambas as frutas na carteira durante o ano inteiro.

* Consumida no fim do ano em todo o país, a lentilha representa a abundância por ter formato de moeda e aumentar de volume quando cozida.

* O louro é mensageiro de prosperidade e deve ser incluído nas receitas, espalhado pela casa ou compor um enfeite.

* Os nordestinos adoram tomar banho de pipoca no réveillon- herança dos escravos, que acreditavam atrair saúde e fartura.

Se todos esses alimentos dão sorte mesmo, ninguém garante, mas eles fazem parte de rituais que deixam a festa muito mais animada.

fonte: Revista Claudia/dezembro

Nota pessoal:
Não esqueçam de pular as sete ondas, para os que forem a praia a meia noite. kkkkk
Eu pulo todo ano, por via das dúvidas...
Feliz Ano novo! Com muita saúde e paz a todos que lerem este post.

DIA DO TEÓLOGO


São Tomás de Aquino, teólogo


30 DE NOVEMBRO

A imagem que algumas pessoas fazem de um teólogo é de alguém que está constantemente enclausurado no último aposento de uma casa, às voltas com obras raras, escritas em dialetos desconhecidos do grande público ou com livros pesados e grossos. Algo assim como no filme o Nome da Rosa, não?

Mas, na verdade, um teólogo é uma pessoa bem mais próxima de nós do que pensamos. Ele presta serviços de consultoria a escritores, por exemplo, que estejam usando a religião para contar alguma história ou fornece orientação a grupos religiosos em geral, principalmente organizações não-governamentais.

Outra confusão que é feita com freqüência: um padre ou um pastor podem ser um teólogo mas um teólogo nem sempre é um religioso. Podemos encontrar um teólogo dando aulas em cursos universitários da área de ciências sociais, como Letras, Antropologia, Sociologia.

Aliás, é cada vez maior nos meios acadêmicos a intertextualidade entre as disciplinas. E em relação à teologia isso é sentido de forma evidente.

Trata-se de um fenômeno recente a redescoberta da leitura teológica do mundo nas áreas de ensino voltadas para o conhecimento do comportamento humano em geral.

O QUE UM TEÓLOGO ESTUDA?
Basicamente o teólogo formado estuda e analisa as diversas religiões do mundo e sua influência sobre o homem do ponto de vista antropológico e sociológico. Sua principal fonte de pesquisa são os textos sagrados e as doutrinas e dogmas religiosos.

Com isso procura explicar de que forma as crenças, com o decorrer do tempo e da história, modificam ou eternizam as maneiras do homem interagir na sociedade.

Nos cursos de teologia, a grade curricular varia de instituição para instituição. Algumas dão maior importância à análise das religiões em si, enquanto outras se debruçam mais sobre os textos sagrados.

De qualquer forma, um estudante de teologia - o futuro teólogo - deverá ler muito e participar de muitos debates em sala de aula sobre as bases e a história das religiões.

O QUE QUER UM TEÓLOGO?
Um teólogo procura a tempo e a hora tornar a religião em um saber racional, no caso, um saber chamado teologia (estudo de Deus: teo = Deus; logia = estudo).

Sua atitude diante da religiosidade é quase sempre objetiva, uma vez que a religião em si e mais precisamente a fé tem caráter subjetivo.

Uma coisa é termos fé, outra é estudarmos os fenômenos da fé. Para o primeiro caso, basta crer, acreditar num dogma ou numa doutrina como verdade a ser vivida. No outro, esta mesma fé será interpretada, relativizada e, conseqüentemente, racionalizada.

O teólogo, então, é aquele que deseja ser os olhos da razão dentro de uma experiência que normalmente só pode ser vivida sem questionamentos, ou seja, na fé, que não questiona, não interroga, apenas crê.

Por isso nada impede que um teólogo venha a ser um religioso fervoroso ou uma pessoa completamente descrente de Deus. Uma coisa não impede a outra. No exercício ou não da fé, crente ou descrente. No exercício da profissão, teólogo sempre.

Fonte: www.ibge.br

Prece pelos Teólogos

Deus santíssimo, Deus Pai,

nós, teu povo e teus herdeiros,

te pedimos pelos teólogos.

Tu que te revelaste a nós pela Palavra de vida,

não permitas que não entendamos as palavras

dos teólogos na nossa vida;

Tu que te revelaste a nós pela encarnação de Jesus,

não permitas que eles falem de uma teologia

que não seja encarnada e sempre reveladora.

Deus santíssimo, Deus Pai,

Tu que és eterna luz e única verdade,

ilumina e esclarece o espírito dos teólogos,

que seus estudos sejam fruto do Espírito Santo,

de oração e de humildade,

fonte de esclarecimento para teu povo.

Que toda teologia nos conduza direto a teu coração,

nos coloque no caminho da verdade,

Nos faça te amar e te servir com renovado vigor.

Que Tu não sejas para ninguém, sobre esta terra,

apenas um objeto de estudo, mas

a rocha segura sobre a qual podemos construir nossa casa.

Fonte: www.fatima.com.br

O QUE É TEOLOGIA?

A teologia é o corpo teórico e disciplinar que estuda as relações entre o “sagrado e o profano”, tanto quanto, o estudo sistemático dos textos e materiais religiosos existentes, estabelecendo uma harmonia, na interpretação dos escritos religiosos – em especial o referente ao cristianismo – sob a investigação científica, que lhe é peculiar.

O termo teologia vem do grego – Theos que significa “Deus, divino, divindade” e logia (logos) que siginifica “estudo, pesquisa". Os teólogos são os especialistas em conhecimentos referentes aos estudos dessas relações.

Os teólogos são formados em seminários, faculdades, institutos, formando-se em bacharéis, licenciados, mestres e doutores. Porém, tais cursos, não são indicativos de que sejam ou estejam preparados para dar explicações acerca de fenômenos sobrenaturais ou de gêneros próximos ao tema. Também, não é uma característica primordial, que sejam os teólogos sacerdotes de nenhuma denominação religiosa, muito embora, seja essa a exigência de muitas religiões, para o exercício efetivo desse cargo.

A maioria das denominações religiosas cristãs e não-cristãs, possuem as suas escolas de formação de seus sacerdotes, onde são formados os teólogos, de acordo com a doutrina particular de cada uma delas, credenciando dessa forma, os seus sacerdotes para o exercício de suas funções. Os teólogos são formados dentro de um ambiente, onde se ministram matérias das mais variadas à sua formação, entre elas: A psicologia, sociologia, história, filosofia, teologias sistemáticas, comparadas, mitologia, etc.

O teólogo, não tem nenhuma obrigação em explicar os chamados fenômenos extrafísicos ou sobrenaturais, pois, não é de sua competência fazê-lo, muito embora, possua recursos técnicos para realizar tais exercícios; porém, tornamos a enfatizar: ”Não é a sua função específica”.

O objeto de estudo e atenção dos teólogos, é o estudo sistemático e comparado dos fenômenos históricos, sociais, filosóficos, antropológicos, psicológicos, das relações entre o sagrado e o profano e, das relações daí decorrentes. A comparação entre as diversas doutrinas, mitologias, dos dogmas, das liturgias das diversas manifestações religiosas existentes, também, é matéria de sua investigação, enquanto agente investigativo.

As diversas escrituras e os seus possíveis significados, tanto quanto as suas diferenças, são também alvo de suas investigações técnicas. As questões espirituais fazem parte de suas pesquisas, muito embora, não esteja interessado em oferecer explicações tácitas e definitivas sobre o tema, tendo na verdade, um comprometimento com a busca de uma possível “verdade” científica sobre esses elementos. As questões que interessa ao teólogo de perto, são na verdade as possíveis relações existentes entre os diversos textos religiosos, assim como, todo o acervo existente que possa trazer conhecimento, sobre a relação entre os fatos históricos e as relações entre o religioso (sentimento) e as práticas místicas e espirituais dos povos, ao longo da existência humana.

Do ponto de vista de uma possível vertente científica, a teologia tem relação direta com a preocupação com os efeitos, mais do que com a essência dos fatos em si. Portanto, a teologia em si é mais uma ciência “investigativa” e não conclusiva, quando trata de “traçar” uma abordagem de entendimento dos fenômenos espirituais. Conclusiva, poderemos considerar, portanto, as escrituras sagradas, que afirmam a sua essência, baseadas na palavra de DEUS.

A teologia, portanto, jamais poderá ser manipulada por interesses pessoais ou denominacionais de qualquer corrente religiosa, pois deve seguir e servir, aos interesses da pesquisa dos fenômenos religiosos e espirituais, porém, sem conotação particular, como um fenômeno abrangente e universalista. Isso não significa, que não possa existir teólogos cristãos, muçulmanos, budistas ou mesmo ateus.

Teologia, não é matéria ou doutrina particular mas: “livre”; estando por isso a serviço do conhecimento. Trata-se portanto, de um conjunto de conhecimentos pluralista, normativo de caráter universal. Dentro do ambiente cristão, serve como elemento retificador dos princípios cristãos, já que foi dentro desse ambiente que a teologia tomou forma. Mas, como elemento de pesquisa, deverá abordar a todo o universo de estudo comparado das diversas religiões.

Um teólogo pode ser um cristão, um muçulmano, um hinduísta, ou até mesmo um ateu, pois, não está em sua essência servir a nenhum grupo de opinião em particular, enquanto ciência empírica. Ser um teólogo, portanto, é estar em sintonia com o pensamento universal, com as causas “primárias” de manifestações espirituais e religiosas dos diversos povos, ao longo da história da civilização. Deverá o teólogo compreender, as diversas manifestações de religiosidade das pessoas e ter em mente que: “A teologia, não é doutrina religiosa, nem tão pouco, deve estar a serviço de interesses particulares, mas, ao conjunto instrumental, que permita aos seus especialistas, compreenderem os mistérios da criação divina, tanto quanto, as questões históricas dos diversos cultos religiosos”.

Portanto, fica patente que: “Existe uma teologia cristã, muçulmana, budista, hinduísta, judaica, e que, os estudiosos desse campo, não podem e nem devem estar submetidos a caprichos pessoais ou amarrados por correntes de intolerância de nenhuma espécie”.

Existindo uma teologia variada como a que temos assistido ao longo da história da civilização, então, temos a oportunidade de estudarmos as mais variadas formas de cultos e crenças existentes, levando a sociedade, uma possível compreensão dessas diferenças.

Deve também, o conjunto de acervo teológico existente, ir conduzindo os homens para uma compreensão salutar, do que venha a ser à vontade de DEUS para os homens, pois, é uma tarefa do teólogo, propiciar esse encontro, ou seja: ”Entre o homem e a sua origem”. Portanto, o teólogo, deve de certa maneira, conduzir o estudioso ao encontro de uma compreensão do mundo espiritual, propiciando o surgimento de uma cultura a DEUS, como o elemento fundamental da existência humana. A causa final do estudo teológico será evidentemente, “tentar” desvendar e tornar conhecido aos homens, a verdadeira relação entre eles e o seu princípio e essência: “DEUS, como o seu criador”.

“Só há uma verdade: DEUS é único”

Fonte: oteb.com.br

COMO SER UM GRANDE TEÓLOGO

1. Oração.

Por essa razão você deveria se desesperar com sua sabedoria e razão; pois com essas não adquirirá nada, mas por sua arrogância lançará a si mesmo e a outros no abismo do inferno, como fez Lúcifer. Ajoelhe-se em seu quarto e peça a Deus em verdadeira humildade e seriedade para que lhe conceda a verdadeira sabedoria.

2. Meditação.

Em segundo lugar, você deveria meditar, não somente em seu coração, mas também em alta voz, na Palavra oral e nas palavras expressas que estão escritas no Livro, as quais você deve sempre considerar e reconsiderar, e ler e reler com diligente atenção e reflexão, para ver o que o Espírito Santo quis dizer através delas. E cuidado para não se cansar disso, pensando que já leu o suficiente se tiver lido, ouvido ou dito uma ou duas vezes e entendido perfeitamente. Pois nenhum grande teólogo é feito dessa forma, mas aqueles (que não estudam) são como fruto verde que cai antes de amadurecer. Por essa razão, veja que no Salmo 119 Davi está sempre dizendo que falaria, meditaria, declararia, cantaria, ouviria e leria, dia e noite, para sempre, nada menos que a Palavra de Deus somente e os mandamentos de Deus. Pois Deus não propôs dar o Seu Espírito sem a Palavra externa. Seja guiado por ela! Não é em vão que Ele ordena escrever, pregar, ler, ouvir, cantar e declarar a Sua Palavra externa.

3. Tentação.

Em terceiro lugar, há a tentatio, isto é, a prova. Essa é a verdadeira pedra de toque que lhe ensina não somente a conhecer e entender, mas também a experimentar quão verdadeira, sincera, doce, amorosa, poderosa e confortadora é a Palavra de Deus, sendo a sabedoria acima de toda sabedoria. Assim, você vê como Davi no Salmo já mencionado reclama sobre todos os tipos de inimigos, príncipes ímpios e tiranos, falsos profetas e facções, os quais deve suportar, pois sempre medita, isto é, lida com a Palavra de Deus em cada modo possível, como declarado. Pois tão logo a Palavra de Deus produz fruto através de você, o diabo lhe perturbará, fará de você um professor de verdade, e lhe ensinará mediante a tribulação a buscar e amar a Palavra de Deus. Pois eu mesmo – se permitirem que expresse minha humilde opinião – devo agradecer aos meus papistas grandemente por tanto me atribular, afligir e aterrorizar pela fúria do diabo, pois fizeram de mim um teólogo suficientemente bom, o que de outra forma nunca teria me tornado.

4. Humildade.

Então (a saber, se você seguir a regra de Davi exibida no Salmo 119), você descobrirá quão superficiais e indignos parecerão os escritos dos Pais, e condenará não somente os livros dos oponentes, mas também ficará cada vez menos satisfeito com sua própria escrita e pregação. Se tiver chegado nesse estágio, você pode esperar com certeza ter começado a ser um teólogo de verdade, alguém que é capaz de ensinar não somente aos jovens e iletrados, mas também aos cristãos maduros e bem instruídos.

Pois a Igreja de Cristo inclui todo o tipo de cristãos – jovens, velhos, fracos, doentes, saudáveis, fortes, agressivos, indolentes, tolos, sábios, etc. Mas caso você se considere instruído e imagine que já alcançou o objetivo e orgulha-se dos seus tratados, ensinos e escritos, como tens trabalhado maravilhosamente e pregado de forma fantástica, e se você fica muitíssimo satisfeito porque as pessoas lhe elogiam diante de outros, e deve ser elogiado ou de outra forma ficará desapontado ou se sentirá desesperado – caso importe-se com isso, meu amigo, apenas agarre as suas orelhas, e se agarrar corretamente, achará um belo parte de grandes, longas e ásperas orelhas de burro. Então vá mais adiante e adorne-se com sinos de ouro, para que as pessoas possam ouvi-lo onde quer que vá, apontando admiradas com o dedo para você e dizendo: “Eis, vejam, é aquele homem maravilhoso que pode escrever excelentes livros e pregar tão extraordinariamente!”.

Então certamente você será abençoado, sim, mais que abençoado, no reino “do céu”; na verdade, naquele reino no qual o fogo do inferno foi preparado para o diabo eos seus anjos!… Nesse Livro, a glória de Deus somente é apresentada, e diz: Deus superbis resistit, humilibus autem dat gratium. Cui est gloria in secula seculerum [Deus resiste ao soberbo, mas dá graça ao humilde. A Ele seja glória para sempre e sempre]. Amém.

Martinho Lutero

Fonte: www.monergismo.com

OS DEZ MANDAMENTOS DO TEÓLOGO

Teólogo no Brasil está sendo mais valorizado com a crescente onda do evangelho que varre nossa nação.

Sugiro dez mandamentos para o teólogo evangélico:

1. Comprometa-se com a essência do Evangelho de Cristo;

2. Vista de simplicidade e transparência;

3. Não serás aplaudido. a honra e a glória é de Cristo;

4. Ensinar a palavra aonde o espírito mandar e não por dinheiro ou honrarias;

5. Tuas quatro ferramentas serão: Oração, jejum, palavra e o vigiar constante:

6. Em tuas explanações jamais trocarás Paulo por Heródoto, Davi por James Joice, Daniel por Lula, mesmo que o faça, coloque em segundo plano nunca em primeiro;

7. A hermenêutica será teu braço direito o esquerdo a exegese da Palavra;

8. Quando entrares em uma igreja te portarás como um sacerdote, nunca como um palhaça (circo) e um ator (Teatro);

9. Sobre teu chamado terás a seguinte máxima de Billy Graham: “senhores Deus não me rebaixaria a tanto, sendo presidente dos EUA”? (depois de ser aconselhado por um colegiado a se candidatar a presidente);

10. E nunca esqueça que além de ti ainda tem sete mil que reservei para mim;

Fonte: www.gospel10.com
]
TEÓLOGO “UNIVERSAL” E TEÓLOGO “ESPECÍFICO”

Com todas as reviravoltas e mudança no fazer e no saber sobre o conhecimento, o mundo mudou e seguiu uma lógica que parece não ter lógica. Houve um período na história que se buscava nos “detentores” do conhecimento uma postural universal, ou seja, eles deveriam abarcar no seu discurso e no seu saber o que era justo e verdadeiro para todas as pessoas.

Gostaríamos de pensar analogicamente a partir da análise que Michael Foucault faz em relação ao intelectual universal e o intelectual específico. A partir da segunda grande guerra mundial esse panorama foi alterado. O mundo passou a identificar melhor a postura do teólogo específico por conta dos rumos que a humanidade tomou depois desse evento que se configurou como uma amostra do que é usar o poder e o saber.

A interferência mais direta na política e no poder a partir dos saberes localizados ou específicos como a biologia, a física, a química, a teologia, dentre outros, impulsionou o surgimento e a valorização dos conhecimentos específicos, colocando ou devolvendo desta forma o poder e o saber nas diversas camadas da sociedade e/ou da humanidade.

Para Foucault “a figura em que se concentram as funções e os prestígios deste novo intelectual não é mais a do ‘escritor genial’, mas a do ‘cientista absoluto’”; não mais aquele que empunha sozinho os valores de todos, que se opõe ao soberano ou aos governantes injustos e faz ouvir o seu grito até na imortalidade; é aquele que detém, com alguns outros, ao serviço do estado ou contra ele, poderes que podem favorecer ou matar definitivamente a vida. Não precisamos mais dos que falam apenas da eternidade, mas sim, daqueles que criem ou fomentem estratégias para a dignidade da vida e até mesmo da morte.

O teólogo universal é aquele que se arvora a falar como representante da verdade e da justiça, sendo ele, uma espécie de consciência de todos. Essa idéia oriunda da parte ruim do marxismo pretende fazer do teólogo universal, através do seu posicionamento moral, espiritual, político, teórico, um detentor desta universalidade que ele pensa englobar em sua teologia e práxis.

Alguns, ainda que nostalgicamente, querem a volta ou o aparecimento dos grandes teólogos universais para regerem nosso estilo de vida, dizendo eles faltar uma visão de mundo ou uma grande teologia hodierna. Entretanto, vivemos um momento em que o papel do teólogo específico deve ser reelaborado, visto que, o caminho na qual o mundo percorre é mais propício ao um melhor desenvolvimento específico do que universal.

Diante das circunstâncias sociais o papel do teólogo especifico deve se tornar cada vez mais importante. Na medida em que, quer queira ou não ele deve assumir responsabilidades políticas, sociais, culturais. O teólogo universal não se compromete diretamente com a situação, pois ele fica longe dos acontecimentos que ele apenas pensa e formula teorias para regulamentar determinada situação. Em outras palavras, o seu engajamento com a vida concreta não é percebida porque enquanto ele apenas teoriza sobre a vida, ela continua a ser vivida ou morrida por aquele que são vitimas ou vilões desse sistema cruel que degenera a vida.

É importante deixar claro que o nosso objetivo não é acabar com o passado e muito menos ser um iconoclasta, o que queremos é chamar a atenção para uma realidade que exige o específico e não o universal. O trabalho do teólogo específico é ajudar a desmascarar um poder que domina não apenas pela força, mas pela absolvição do seu regime pelos habitantes de um lócus social. O não envolvimento do teólogo com essas pessoas resulta na manutenção desse status quo (religioso, político, social, econômico) que visivelmente contribui para a destruição da vida em todas as suas possibilidades.

Podemos suspeitar que o motivo para o não envolvimento por parte de muitos teólogos com as coisas específicas, ou seja, com a vida concreta dos seres humanos e de toda a criação, é devido ao medo da perseguição que o teólogo específico terá sobre si devido o poder de denúncia que estará em suas mãos, não mais em função de seu discurso geral e sim, por conta das denúncias que ele trará de uma realidade concreta que não agüenta mais o despotismo, os variados abusos e a arrogância da riqueza.

Enfim, a religião, a política, a economia, a ciência e no limite a sociedade, não precisam mais de detentores das verdades universais, pois eles não se envolvem com as questões práticas da vida mesmo que pensando e formulando teses sobre ela. É importante o surgimento e o fortalecimento do teólogo específico que sabe que sua construção do pensamento e sua prática não devem ser longe da vida e de tudo que promova e afirme a dignidade humana. Com ele deve existir a criação de novos valores respaldados por um novo jeito de teologar e, essa nova forma de se fazer teologia deve criar e fomentar valores que estejam em consonância com o corpo, com a vida, com a terra e com Deus.

Fonte: www.noticiasdeipiau.com

KARL RAHNER, O PRIMEIRO TEÓLOGO CATÓLICO MODERNO

Para o teólogo italiano Rosino Gibellini, Karl Rahner, especialmente no momento histórico do Concílio Vaticano II, colocava-se na linha da renovação e se ocupava em lançar uma ponte entre tradicionalistas e progressistas. Segundo Gibellini, a teologia de Rahner estava em plena sintonia com o grande projeto inovador do Concílio.

“Rahner é o protagonista da virada antropológica na teologia católica, que mantém ‘o ouvinte da Palavra’ sempre presente na proposição da verdade cristã, e se confronta, portanto, com a cultura moderna. Essa é uma das maiores linhas da teologia do século XX, que se diferencia (sem se contrapor) das teologias da identidade católica, representadas pelas figuras de Von Balthasar e Ratzinger”, afirma.

Rosino Gibellini é doutor em teologia pela Universidade Gregoriana de Roma e doutor em filosofia pela Universidade Católica de Milão. Dirige as coleções Giornale di Teologia e Biblioteca de teologia contemporânea da Editora Queriniana de Brescia, Itália. O estudioso é autor, entre outros livros, de A teologia do século XX (Edições Loyola, 1998). Ele já concedeu várias entrevistas para a revista IHU On-Line.

Confira a entrevista.

IHU On-Line – Quais eram, para Rahner, os principais desafios e as principais possibilidades da modernidade para a vida de fé?

Rosino Gibellini – Karl Rahner compreendeu os sentidos dos desafios da modernidade para a teologia cristã, assim como, em seu tempo, Schleiermacher as tinha compreendido. Na análise da situação cultural e teológica – a qual era possível diagnosticar já nos anos 50 do século XX –, Rahner identificava três elementos característicos:

a) vivemos numa sociedade secular e pluralista, em que os enunciados da fé perderam a sua obviedade;

b) justamente com o pluralismo, é preciso registrar um aumento dos conhecimentos em todas as áreas do saber, o que torna particularmente difícil fazer sínteses;

c) a essas dificuldades modernas da anunciação cristã e do fazer teologia, deve-se acrescentar uma espécie de enrijecimento (Fixierung) e de incrustação (Verkrustung) de conceitos teológicos que, permanecendo imutáveis no decorrer dos séculos, não correspondem mais à situação transformada da vida e da cultura do homem moderno. Daí a sua tentativa de uma reforma metodológica da teologia católica.

IHU On-Line – Como avaliar as ideias de Rahner, claramente em diálogo com a modernidade, quando alguns pensadores afirmam que já estamos vivendo na pós-modernidade? Rahner estaria superado?

Rosino Gibellini – Poder-se-ia dizer que Rahner é o primeiro teólogo católico moderno. A modernidade é caracterizada pela racionalidade crítica (Descartes, Kant), e Rahner introduziu na teologia católica o exercício da racionalidade crítica, que iria substituir a racionalidade metafísica da neoescolástica e da prática católica. A grande teologia francesa visava principalmente uma reforma do tomismo na linha de Maritain e Gilson. A tentativa de Rahner é mais ousada.

E o dever do exercício da racionalidade crítica na teologia permanece também no tempo da pós-modernidade, que é interpretada como “modernidade tardia” (Habermas) ou como “nova modernidade” (Robert Schreiter): o exercício da racionalidade crítica deverá unir-se, no tempo da pós-modernidade, à atenção aos temas que foram esquecidos ou desvalorizados pelo projeto moderno (David Tracy).

IHU On-Line – Por que Rahner teve tanta importância nos debates do Concílio Vaticano II? Quais foram as circunstâncias que possibilitaram que ele tivesse essa relevância nos debates?

Rosino Gibellini – O Concílio Vaticano II (1962-1965) – anunciado de surpresa por João XXIII há 50 anos, no dia 25 de janeiro de 1959 – propôs uma “atualização” da igreja, para torná-la mais correspondente à sua missão pastoral. A teologia de Rahner estava em sintonia com esse programa. Justamente em 1959 – ano da proposta do Concílio – Rahner publicou “Missão e Graça”, que inicia com um significativo ensaio intitulado “Significado teológico do cristão no mundo moderno” (de 1954), em que ilustra a passagem do regime da cristandade para uma situação na qual a igreja existe como minoria no interior das nações; e no qual sustenta que tal situação não deve ser suportada, e sim assumida como “imperativo histórico de salvação” e afrontada como uma renovação dos métodos da práxis eclesiástica. Nota-se, então, que a teologia de Rahner estava em sintonia com o grande projeto inovador do Concílio.

IHU On-Line – Como Rahner se posicionava nas polarizações conceituais e políticas do Concílio? Frente a quais ideias e teólogos Rahner se posicionou contra ou a favor?

Rosino Gibellini – Com o Concílio já anunciado, Rahner foi atingido por uma “censura preventiva” para excluí-lo completamente do evento. Mas acabou chegando a Roma como perito pessoal do cardeal König, de Viena, presidente da Conferência Episcopal Austríaca. Introduziu-se nas comissões com cautela. Escreverá na “Breve correspondência do período do Concílio” publicada em 1986: “Pode ser que Alfredo Ottaviani, então prefeito do Santo Ofício, tenha notado que sou um teólogo completamente inofensivo e normal. E, dessa forma, aquele decreto romano (da censura preventiva), foi simplesmente esquecido”. Mas trabalhou com afinco, a ponto de tornar-se um dos teólogos mais célebres justamente durante o Concílio. Deve-se reconhecer, porém, que a verdadeira estrela do Concílio era Joseph Ratzinger, na época docente de teologia fundamental em Bonn e consultor oficial do cardeal Frings de Colônia, presidente da Conferência Episcopal Alemã. Escreveu Rahner (1962): “Com Ratzinger, me entendo bem. Ele é muito estimado por Frings”.

Rahner colocava-se na linha da renovação e nas polarizações se ocupava em lançar uma ponte entre tradicionalistas e progressistas. Suas maiores contribuições são em sede eclesiológica, mas também, e principalmente, sobre a doutrina católica da revelação e sobre uma compreensão mais profunda da vontade de salvação universal. Mas é no pós-Concílio que os caminhos se dividem. Para Rahner, o Concílio é o início de um caminho de reforma a dar continuidade para uma “transformação estrutural da Igreja”, como diz o título de um seu volume programático de 1972. O teólogo Ratzinger estará longe desse programa e insistirá sempre num retorno aos textos do Concílio, dos quais somente resulta o espírito do evento Conciliar. Se Rahner ressalta a descontinuidade operada pelo Concílio, Ratzinger interpretará o Concílio no sentido da continuidade.

IHU On-Line – Quais foram as contribuições de Rahner para o diálogo inter-religioso e o ecumenismo?

Rosino Gibellini – O maior ecumenista católico no Concílio era o teólogo francês Congar, mas a solução católica mais avançada para o problema ecumênico no pós-Concílio foi dada por Karl Rahner e por Heinrich Fries, que assinaram o mediato e corajoso texto “União das Igrejas – Possibilidade real” (1984), que aparecia como nº 100 da célebre Biblioteca Herderiana “Quaestiones Disputatae”. Livro e projeto que o teólogo Ratzinger criticou.

Rahner também deu sua contribuição à teologia das religiões com a sua tese dos “cristãos anônimos”, que lhe permitia ver as religiões não-cristãs como “vias legítimas de salvação”, na dependência de “todo o verdadeiro e o bom do cristianismo”, como a monografia completa de Doris Ziebritzki sobre o tema publicada na Coleção “Innsbrucker theologische Studien” reconstruiu.

A contribuição de Rahner deve ser agora criticamente integrada a uma grande bibliografia, católica e ecumênica, que se desenvolveu nas últimas duas, três décadas. Resumo a passagem desta forma: “Do cristianismo anônimo a um cristianismo relacional”.

IHU On-Line – Frente aos atuais problemas de governo da Igreja, Rahner ainda oferece respostas? Como Ratzinger vê Rahner?

Rosino Gibellini – Rahner e Ratzinger são duas grandes figuras da teologia da época moderna. O teólogo jesuíta espanhol Santiago Madrigal dedicou uma recente monografia ao confronto entre os dois teólogos: duas grandes personalidades que colaboraram na realização do Concílio, mas que depois se diferenciaram na concreta aplicação deste, até entrar, sob certos aspectos, como teólogos, em contraste entre si, mas convergentes sobre a dificuldade do dever, assim expresso por Rahner: “Com certeza passará muito tempo até que a igreja, que recebeu de Deus a graça do Concílio Vaticano II, seja a igreja do Concílio Vaticano”.

IHU On-Line – Como Rahner é visto hoje na teologia? Quais são seus principais discípulos nos debates teológicos atuais?

Rosino Gibellini – Rahner é o protagonista da virada antropológica na teologia católica, que mantém “o ouvinte da Palavra“ sempre presente na proposição da verdade cristã, e se confronta, portanto, com a cultura moderna. Essa é uma das maiores linhas da teologia do século XX, que se diferencia (sem se contrapor) das teologias da identidade católica, representadas pelas figuras de Von Balthasar e Ratzinger.
Rahner fez escola e teve numerosos discípulos, dos quais o mais criativo, que, partindo de Rahner foi além de Rahner, é Johann Baptist Metz, em cujo pensamento a racionalidade crítica se concretiza com a racionalidade prática, que desenvolve as implicâncias históricas e sociais do pensamento cristão.

IHU On-Line – Passados 25 anos de sua morte, qual é a principal herança que Rahner deixou para a Igreja?

Rosino Gibellini – Vinte e cinco anos após sua morte (30 de março de 1984), está em fase de avançada realização a edição crítica da Opera omnia do grande teólogo, que representará um seguro ponto de referência para o futuro da teologia. Recordo de ter participado, com Gustavo Gutiérrez (que se encontrava naquele mês em Roma) dos solenes funerais do teólogo alemão em Innsbruck, onde havia se retirado nos últimos anos.

Nos funerais também estavam presentes Metz, Lehmann, Kasper e Schillbeeckx. Aos participantes, foi distribuído o Boletim informativo dos Jesuítas da província da Alemanha meridional (datado em München, abril 1984/2), dedicado à figura de Rahner. Sempre o conservei e comentei várias vezes com os jovens teólogos a sua última entrevista ali reproduzida. O entrevistador perguntava: “Como se pode transmitir a fé à nova geração?” Rahner respondia: “Antes de tudo deve-se pregar bem (grifo do texto). Para pregar bem, deve-se primeiro estudar bem teologia. Mas, para pregar bem, devem existir homens vivos, devotos, radicalmente cristãos, que possam pregar. Naturalmente também deve existir uma certa liberdade no exercício de uma atividade apostólica ou pastoral”. A teologia, portanto, é um instrumento do anúncio e da missão.

O teólogo evangélico Wolfhart Pannenberg identificou bem o maior legado de Karl Rahner, vendo na teologia rahneriana uma das tentativas mais consistentes do nosso tempo de manter aberta a racionalidade reduzida da cultura secular ao mais vasto horizonte de uma racionalidade que reconhece também o mistério de Deus “enquanto ele nos ensinou a ver em cada tema teológico, aquilo que é universalmente humano”, introduzindo-se assim no vasto sulco da mais autêntica teologia cristã: “A aliança com a razão pertence desde o início á dinâmica missionária do Evangelho”.

Fonte: amaivos.uol.com.br

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

AIRBAG


Em uma colisão frontal, o motorista e os passageiros de um carro são arremessados para a frente e podem se ferir gravemente ao se chocarem com o volante, o painel ou o pára-brisa.

Os air bags, ou almofadas infláveis, protegem as pessoas nos casos de acidente: ejetados do volante ou do painel, se enchem de nitrogênio instantaneamente.

O sistema de air bag é formado por sensores eletrônicos, um inflator para produzir nitrogênio e a almofada em si.

Os sensores são programados para ignorar as colisões a menos de 16 a 22 km/h. Em um choque forte, a almofada se infla por completo em 1/20 de segundo.

Para as pessoas poderem sair, a almofada se esvazia assim que absorve o impacto.

Os air bags podem salvar vidas, mas apenas em colisões frontais, sem substituir os cintos de segurança e as ombreiras.
Ao receber os sinais do sensor de colisão, um gerador e calor inflama substâncias químicas para produzir o nitrogênio, que infla o air bag.

Completamente cheio, o air bag absorve o impacto inicial do corpo do motorista, quando este é lançado para a frente.

Tendo protegido o corpo do motorista, o air bag se esvazia, suavizando o impacto.

Dois orifícios na parte traseira da almofada deixam escapar o gás.

Fonte: br.geocities.com

O ensino de ciências e tecnologias vem avançando na educação brasileira e o air bag é um assunto interessante que, por fazer parte de seu cotidiano, desperta a atenção do aluno e permite que o experimento seja reproduzido no laboratório de química escolar.
Utilizando essa tecnologia podemos explorar conceitos de química, física e meio ambiente, atualizando e preparando o aluno para ser profissional do futuro.

O air bag é um dispositivo destinado a proteger motoristas e passageiros em caso de colisão. Trata-se de um módulo que se localiza no ponto central do volante de direção, quando está do lado do motorista e, no painel logo acima do porta-luvas, quando trata-se do módulo do passageiro.

Para haver um perfeito funcionamento, o sistema envolve mecanismo como: sensores localizados na parte frontal do veículo e que têm por função detectar a rápida desaceleração do automóvel; um módulo de controle eletrônico que, através de uma luz indicadora no painel, emite alerta sobre falhas em seu funcionamento; uma câmera de metal onde há substâncias químicas que reagem entre si quando recebem um impulso elétrico; uma bolsa plástica que fica acondicionada dentro do volante.

Assim que os sensores enviam a mensagem de brusca desaceleração, uma faísca é lançada na câmera metálica e estes produtos reagem formando sólidos e o gás nitrogênio.

Apenas o gás atravessa os filtros da câmara metálica, enchendo a bolsa.

O processo de enchimento do air bag rompe uma tampa localizada no centro do volante.

Toda esta operação, desde a colisão até o término do enchimento da bolsa, dura apenas entre um a três milésimos de segundo.

O air bag possui uma abertura no seu interior que permite o escapamento do gás de forma natural ou até mesmo com o peso exercido pelo corpo do motorista.

Equação química do processo:

6NaN3(s)+Fe2O3(s) => 3Na2O(s)+2Fe(s)+9N2(g)

Fonte: www.mundodoquimico.hpg.ig.com.br

domingo, 28 de novembro de 2010

ELE ATENDERÁ


Quando atravesses um instante considerado terrível, na jornada redentora da Terra, recorda que o desespero é capaz de suprimir-te a visão ou barrar-te o caminho.
Para muitos, esse minuto estranho aparece na figura da enfermidade; para outros, na forma da cinza com que a morte lhes subtrai temporariamente o sorriso de um ente amado.
Em muitos lugares, guarda a feição de crise espiritual, aniquilando a esperança; e, em outros ainda, ei-lo que surge por avalanche de provas encadeadas, baldando a energia.
* * *
Ninguém escapa aos topes de luta, que diferem para cada um de nós, segundo os objetivos que procuramos nas conquistas do Espírito.
Esse jaz atormentado de tentações, aquele padece abandono, aquele outro chora oportunidades perdidas e mais outro lamenta os desenganos da própria queda.
* * *
Se chegaste a instante assim, obscurecido por nuvens de lágrimas, arrima-te à paciência, ouve a fé, aconselha-te com a reflexão e medita com a serenidade, mas não procures a opinião de esmorecimento.
* * *
Desânimo é fruto envenenado da ilusão que alimentamos a nosso respeito. Ele nos faz sentir pretensamente superiores a milhares de irmãos que, retendo qualidades não menos dignas que as nossas, carregam por amor fardos de sacrifício, dos quais diminutas parcelas nos esmagariam os ombros.
* * *
Venha o desânimo como vier, certifica-te de que a forma ideal para arredar-lhe a sombra será compreender, auxiliar e servir sempre.
* * *
Guardes o coração conturbado ou ferido, magoado ou desfalecente, serve em favor dos que te amparem ou desajudem, entendam ou caluniem.
Ainda que todos os apoios humanos te falhem de improviso, nada precisas temer.
Tens contigo, à frente e à retaguarda, à esquerda e à direita, a força do companheiro invisível que te resolve os problemas sem perguntar e que te provê com todos os recursos indispensáveis à paz e à sustentação de teus dias. Ele que ama, trabalha e serve sem descanso, espera que ames, trabalhes e sirvas quanto possas.
Sem que o saibas, ele te acompanha os pequeninos progressos e se regozija com os teus mais íntimos triunfos, assegurando-te tranquilidade e vitória. Ele que te salvou ontem, salvará também hoje.
Em qualquer tempo, lugar, dia ou circunstância, em que te sintas à beira da queda na tentação ou na angustia, chama por Ele.
Ele te atenderá pelo nome de DEUS.

Do livro "Rumo Certo" - pelo Espírito Emmanuel - Psicografia de Francisco Cândido Xavier

Meditação: Obstáculos

" Quando te sintas sob o frio do desengano, não creias que o esforço que despendeste no bem haja sido infrutífero. O desarranjo de certa máquina te ensina a paciência. O afastamento de um companheiro terá sido o meio de te acordar as energias adormecidas, para que te desenvolvas em ação mais ampla. O dinheiro que te era devido e ainda não recebeste é um convite da vida a que trabalhes mais e melhor. A doença controlada ou vencida é uma lição que te auxilia a guardar a própria saúde. Quando a crise te busque, lembra-te de que o obstáculo está simplesmente instando contigo para que recomeces a própria tarefa, outra vez."

Neste Instante - ditado pelo espírito Emmanuel - Chico Xavier

sábado, 27 de novembro de 2010

HORÓSCOPO DAS FLORES





Você já deve ter ouvido falar no continente perdido de Atlântida, extinto há 11 mil anos. Segundo as lendas, esse reino perfeito era habitado por seres de beleza e sabedoria inigualáveis, que viviam em harmonia com a natureza e com diversas criaturas mágicas, como os gnomos.

No entanto, a Atlântida sofreu uma implosão e submergiu para sempre. Para o filósofo grego Platão, essa destruição ocorreu porque os atlantes estavam se tornando materialistas e cada vez mais distantes da pureza espiritual.

Segundo diversas correntes esotéricas, porém, os sábios e sacerdotes atlantes já estavam avisados sobre a tragédia que se aproximava e trataram de resguardar alguns "tesouros de conhecimento", que posteriormente foram repassados aos sábios egípcios. Exemplos desses conhecimentos resgatados são o Tarô e uma técnica de astrologia complexa e diferenciada, denominada "Horóscopo Atlante" ou "Horóscopo das Flores".

Fonte: www.cidademistica.com.br



Campainha - Imperial (de 6/1 a 2/2 )
Flor-de-Lotus (de 3/2 a 1/3 )
Narciso (de 2/3 a 21/3 )
Violeta (de 22/3 a 20/4 )
Hibisco (de 24/4 a 10/5 )
Esporeira (de 11/5 a 31/5 )
Flor-de-maracujá (de 1/6 a 23/6 )
Orquídea (de 24/6 a 11/7 )
Lírio (de 12/7 a 5/8 )
Papoula (de 6/8 a 28/8 )
Rosa (de 29/8 a 23/9 )
Crisântemo (de 24/9 a 18/10 )
Dedaleira (de 19/10 a 7/11 )
Íris (de 8/11 a 12/12 )
Mandrágora. (de 13/12 a 5/1 )

Campainha Imperial



Com delicadas flores em forma de taça, essa planta se desenvolve muito bem em temperaturas amenas e em lugares ensolarados, além de se adaptar a qualquer tipo de solo. As pessoas nascidas sob o signo de Campainha-Imperial são, a exemplo da flor que as simboliza, extremamente adaptáveis e amantes da luz e do calor. Buscam relacionamentos intensos e têm o dom de transformar os obstáculos em valiosas oportunidades de comprovar o próprio valor e alcançar a vitória. Às vezes, mostram-se distraídas e até meio relapsas, mas esse alheamento nada mais é do que a expressão de uma mente criativa e incansável, eternamente empenhada na busca de novos horizontes. Para transformarem seus sonhos em realidade, precisam aprender a ter mais persistência e a agir de forma mais objetiva.

Flor-de-Lotus




Essa flor, que brota na lama e se eleva para o céu por meio de um caule compridíssimo, é o símbolo da pureza no Oriente. Na Atlântida, representava a essência pura que existe no íntimo de cada ser. As pessoas nascidas sob o signo de Flor-de-Lótus são sensíveis e intuitivas, embora tendam a adotar um comportamento rígido e objetivo no dia-a-dia. São emocionalmente vulneráveis e magoam-se com facilidade, mas sabem esconder muito bem esses sentimentos.
Gostam de ajudar os outros e podem se sacrificar pelo bem-estar dos entes queridos. Para serem felizes, querem estar em paz e em harmonia com todos que fazem parte de suas vidas.

Narciso


Conta-se que essa flor, tão rara nos dias de hoje, espalhava-se por todos os jardins atlantes. As pessoas que nascem sob o signo de Narciso destacam-se por sua habilidade em se comunicar, pela simpatia e pelo jogo de cintura que lhes permite sair-se bem nas mais diversas situações. São pacientes e, quando necessário, agem com uma boa dose de ousadia, o que lhes garante sucesso em vários empreendimentos.

Violeta



A delicadeza é a principal qualidade associada a essa flor. Por isso, as pessoas que nascem sob o signo de Violeta são discretas, adaptam-se a quaisquer circunstâncias e gostam de ajudar os outros, sem jamais esperar recompensas. Podem ter aparência vulnerável, mas possuem força de vontade férrea e grande firmeza de espírito. Não toleram mentiras, traições, demonstrações de egoísmo ou ambição excessiva.

Hibisco




Semelhante a uma taça, a flor hibisco tem uma forma original e harmoniosa. Pode ser branca, rosada, amarela ou vermelha. As pessoas que nascem sob o signo de Hibisco são originais, abertas a novas experiências, organizadas e extremamente comprometidas com o aprimoramento pessoal. Gostam de manter um convívio social amplo, são vaidosas e se preocupam em obter o reconhecimento dos outros.

Esporeira





Azuis e pequeninas, as flores da esporeira se assemelham a pequenos golfinhos, presos a caules firmes e eretos. As pessoas que nascem sob este signo são fortes, determinadas e dignas, fazem questão de ter seu valor reconhecido e repudiam a falsidade e a hipocrisia. Realistas, sabem agir com serenidade e bom senso, mas nem por isso deixam de lado seus ideais e seus sentimentos mais elevados. São obstinadas, batalhadoras e dotadas de grande energia e força de vontade.

Flor de Maracujá



Para os atlantes, essa flor é o símbolo da dualidade da natureza. As pessoas que nascem sob o signo de Flor-de-Maracujá podem ser bastante duais. Às vezes, aparentam uma determinada coisa, embora tenham uma essência absolutamente oposta. São falantes e decididas, mas às vezes se retraem e deixam de agir porque receiam errar. Podem encontrar a felicidade quando conseguem estabelecer um ponto de equilíbrio entre as energias opostas que agem em sua personalidade.

Orquídea




A orquídea é uma planta que depende das outras para sobreviver, pois suas raízes não se prendem ao solo. Mesmo assim, ela consegue manter sua independência e é dotada de beleza exuberante. As pessoas que nascem sob o signo de Orquídea lutam para ser livres e para viverem com independência e autonomia. Mas, para alcançarem seus objetivos, precisam perder o medo da solidão e não devem se preocupar tanto com as opiniões dos outros. Apreciam o luxo, o conforto e a harmonia. Podem enriquecer com um golpe de sorte e tendem a ser muito favorecidas pelo destino.

Lírio





As propriedades alucinógenas da flor do lírio fizeram dessa planta um símbolo da magia para muitas civilizações, inclusive a atlante. Além disso, essa flor está associada à pureza e à dignidade. As pessoas que nascem sob o signo de Lírio são dotadas de caráter nobre. Comportam-se com retidão, firmeza e coerência. Não gostam de julgar nem de serem julgadas, pois acreditam que cada um tem o direito de errar e que não cabe a ninguém avaliar o que é certo ou errado. São práticas, objetivas e sensatas, mas também apresentam um lado emotivo bastante forte.

Papoula




Essa flor de cores brilhantes é a fonte do extrato usado para preparar o ópio. As pessoas nascidas sob o signo de Papoula gostam de viver em ritmo de aventura. São otimistas, alegres e fazem questão de disseminar energia positiva e alto astral por onde quer que passem. Estão sempre em busca de novidades e não se lamentam quando algo dá errado, pois acreditam na importância de aprender com as experiências. Buscam avidamente os novos conhecimentos e colocam paixão em tudo que fazem. Tendem a exercer verdadeiro fascínio sobre o sexo oposto, mas podem se comportar de um jeito bastante instável nos relacionamentos amorosos.

Rosa




Na Atlântida, a rosa era o símbolo da intensidade e do prazer de viver.
Assim, as pessoas que nascem sob o signo de Rosa são ternas, afetuosas, verdadeiras e intensas. Buscam a plenitude em tudo o que fazem e jamais fogem dos desafios, pois sentem uma profunda alegria em vencer os obstáculos. Sabem extrair o melhor de cada experiência e jamais perdem tempo lamentando ou reclamando de alguma coisa. Apreciam elogios, mas não fazem nada para se sobressair. Generosas, gostam de fazer os outros felizes e ficam na expectativa de colher amor e gratidão.

Crisántemo




A justiça e a nobreza de caráter são os atributos associados a essa flor, cuja origem se perde no tempo. As pessoas nascidas sob o signo de Crisântemo são justas e querem ver a harmonia e o equilíbrio disseminados pelo mundo. Apreciam a beleza, a organização, o equilíbrio estético e o requinte. São extremamente elegantes e se comportam com discrição e charme. Precisam apenas controlar a tendência de querer mudar os outros, pois nem sempre aquilo que consideram como sendo o melhor serve de exemplo para os demais.

Dedaleira





Essa flor nasce em forma de cachos e é fonte de alguns extratos
medicinais. As pessoas nascidas sob o signo de Dedaleira são enérgicas, cheias de vida e boa vontade. Sonham vencer na vida e não se cansam de lutar por seus objetivos, mas às vezes perdem oportunidades valiosas simplesmente porque não aceitam se curvar diante de regras impostas pelos superiores. Agem de maneira sempre gentil, calorosa e correta. No amor, tendem a revelar um certo romantismo, embora nem sempre se mantenham fiéis a uma só pessoa.

Iris






Na Atlântida, essa flor era o símbolo do trabalho e da dedicação. As pessoas nascidas sob o signo de Íris tendem a ser esforçadas e podem se sair muito bem em cargos de liderança, pois sabem exercer o poder sem resvalar para o autoritarismo. Dotadas de uma intuição apurada e de uma inteligência aguda, são capazes de captar as verdades que se ocultam muito além das aparências. Persuasivas, quase sempre convencem os outros a fazerem exatamente aquilo que elas querem. Embora pareçam acessíveis e extrovertidas, sabem guardar muito bem os próprios sentimentos e desejos. Têm horror a conflitos e sempre optam pelo caminho do entendimento e da conciliação.


Mandrágora



Símbolo da magia, essa flor tem uma forma que lembra a silhueta de um corpo humano. É fonte de uma substância capaz de induzir a transes hipnóticos, ou estados alterados de consciência, muito úteis à prática de magia. As pessoas que nascem sob o signo de Mandrágora são espiritualmente elevadas e estão sempre em busca do sentido mais profundo da vida e da existência. Não gostam da rotina, do senso comum, da mediocridade. Têm uma natureza intensa e apaixonada, ainda que aparentem uma certa frieza e façam questão de impor algum distanciamento às pessoas em geral. É preciso conhece-las bem para saber lhes dar o devido valor.

MAIS SEMPRE



Ante as questões aflitivas que nos assoberbam a experiência individual, analisemos algumas das receitas de paz que a Doutrina Espírita nos oferece, à frente dos males com que somos defrontados no dia-a-dia.
* * *
Entraves para entendimento com o próximo:
apliquemo-nos sempre mais à caridade de observar, com mais profundeza e compreensão, as dificuldades dos outros.
* * *
Conflitos domésticos:
pratiquemos sempre mais a caridade do concurso fraterno, pelo culto da gentileza dentro de casa.
* * *
Ofensa e ingratidão:
atendamos sempre mais a caridade da desculpa incondicional, dissipando a névoa do erro com a benção da tolerância.
* * *
Injúria e maledicência:
exercitemos sempre mais a caridade de não comentar o mal.
* * *
Azedume e irritação nos corações amigos:
exerçamos sempre mais a caridade do retorno à conversação afetuosa sem alterar a voz por pior que seja a ocorrência menos agradável que haja sucedido.
* * *
Calúnia e acusação:
demonstremos sempre mais a caridade de sermos cada vez mais úteis onde estivermos.
* * *
Influência obsessiva:
exemplifiquemos sempre mais a caridade da resistência às tentações, através do trabalho no refúgio da prece.
* * *
Contratempos e provações:
estendamos sempre mais a caridade da paciência, no desempenho fiel das obrigações que a Bondade de Deus nos tenha confiado, ofertando, dia-a-dia, ao mundo e aos nossos semelhantes aquilo de melhor que sejamos capazes de produzir.
* * *
Tédio e desânimo:
Façamos sempre mais caridade de visitar auxiliando, quanto nos seja possível, os irmãos em penúria, que ainda não possuem,por vezes, nem mesmo a vigésima parte das vantagens e oportunidades que nos felicitam a vida.
* * *

Em verdade, a trilha da evolução é uma estrada para cima, inçada de perigos, empeços, sofrimentos e espinhos que para nós se exibem como sendo dolorosos e difíceis problemas.
Antes, porém, de procurarmos qualquer remédio, experimentemos sempre mais o esforço da caridade e estaremos no exato caminho da solução.


Do livro "Rumo Certo" - pelo Espírito Emmanuel - Psicografia de Francisco Cândido Xavier


Meditação:

"Quem se aceita como é, doando de si à vida o melhor que tem, caminha mais facilmente para ser feliz como espera ser." - Despertar - pelo espírito André Luiz - Chico Xavier

"Nunca prejudicarás a alguém sem prejudicar-te e nunca beneficiarás a essa ou aquela pessoa, sem beneficiar a ti mesmo." Gotas de Paz- pelo espírito Emmanuel - Chico Xavier

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

DIA DO MINISTÉRIO PÚBLICO


26 DE NOVEMBRO

O Ministério Público abrange:

1 - O Ministério Público da União (MPU) compreende os seguintes ramos: a) O Ministério Público Federal (MPF); b) O Ministério Público do Trabalho (MPT); c) O Ministério Público Militar (MPM); d) O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT).

2 - Os Ministérios Públicos dos Estados (MPE).

A organização, as atribuições e o estatuto do Ministério Público da União divergem do Ministério Público dos Estados. Enquanto o MPU é regido pela Lei Complementar nº 75/1993, o MPE rege-se pela Lei nº 8.625/1993.

Ao MPU é assegurada autonomia funcional, administrativa e financeira. Sendo as carreiras dos membros dos diferentes ramos independentes entre si. Dessa forma, para ser membro do MPF, deve-se prestar concurso público para o MPF. Para ser membro do MPT, deve-se prestar concurso para o MPT, e assim por diante. Quanto a carreira técnico-administrativa, esta é única para todo o MPU. O candidato presta concurso público para o MPU e pode ser lotado em qualquer um dos ramos.

O QUE O MPU FAZ?

a) defesa da ordem jurídica, ou seja, o Ministério Público deve zelar pela observância e pelo cumprimento da lei. FISCAL DA LEI, atividade interveniente.

b) defesa do patrimônio nacional, do patrimônio público e social, do patrimônio cultural, do meio ambiente, dos direitos e interesses da coletividade, especialmente das comunidades indígenas, da família, da criança, do adolescente e do idoso. DEFENSOR DO POVO

c) defesa dos interesses sociais e individuais indisponíveis.

d) controle externo da atividade policial. Trata-se da investigação de crimes, da requisição de instauração de inquéritos policiais, da promoção pela responsabilização dos culpados, do combate à tortura e aos meios ilícitos de provas, entre outras possibilidades de atuação. Os membros do MPU têm liberdade de ação tanto para pedir a absolvição do réu quanto para acusá-lo.

INSTRUMENTOS DE ATUAÇÃO DO MPU (alguns exemplos)

a) promover ação direta de inconstitucionalidade e ação declaratória de constitucionalidade

b) promover representação para intervenção federal nos Estados e Distrito Federal

c) impetrar habeas corpus e mandado de segurança

d) promover mandado de injunção


e) promover inquérito civil e ação civil pública para proteger:

direitos constitucionais

patrimônio público e social

meio ambiente

patrimônio cultural

interesses individuais indisponíveis, homogêneos e sociais, difusos e coletivos.

f) promover ação penal pública

g) expedir recomendações, visando à melhoria dos serviços públicos e de relevância pública

h) expedir notificações ou requisições (de informações, de documentos, de diligências investigatórias, de instauração de inquérito policial à autoridade policial).

GARANTIAS DOS MEMBROS DO MPU

Vitaliciedade

Inamovibilidade (impossibilidade de remover compulsoriamente o titular de seu cargo, exceto por motivo de interesse público)

Independência funcional (liberdade no exercício das funções)

Foro especial

Irredutibilidade de vencimentos

VEDAÇÕES AOS MEMBROS DO MPU

Recebimento de honorários ou custas

Exercício da advocacia

Participação em sociedade comercial

Atividade político-partidária

PROCURADOR-GERAL DA REPÚBLICA

O procurador-geral da República é o chefe do Ministério Público da União e do Ministério Público Federal. Ele é, também, o procurador-geral Eleitoral. Nomeado pelo presidente da República, após aprovação do Senado Federal, cabe a ele, dentre outras atribuições nomear o procurador-geral do Trabalho (chefe do MPT), o procurador-geral da Justiça Militar (chefe do MPM) e dar posse ao procurador-geral de Justiça do Distrito Federal e Territórios (chefe do MPDFT).

Fonte: www.mpu.gov.br

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

DIA NACIONAL DO DOADOR DE SANGUE


25 DE NOVEMBRO

O Termo de Compromisso e o decreto presidencial fazem parte da estratégia do governo para o Brasil atingir a meta de ter entre 3% e 5% da população doando sangue anualmente. Essa é a taxa ideal, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), para um país manter os estoques regularizados. Hoje, o percentual de doadores brasileiros varia entre 1,76% e 1,78% por ano.

Segundo o Termo de Compromisso, os cinco ministérios, dentro das especificidades de cada área e das suas possibilidades, deverão desenvolver as seguintes atividades:

Homenagens públicas aos doadores voluntários de sangue

Ações informativas voltadas para os diversos segmentos da sociedade, buscando fomentar a atividade de doação de sangue

Campanhas destinadas a divulgar a importância do ato de doar sangue

Processos educativos direcionados às crianças e adolecentes, difundindo conceitos de solidariedade e cidadania, relativos à atividade de doar sangue

Outras atividades informativas e educativas que demonstrem para a população os inúmeros benefícios do ato de doação de sangue

As obrigações das centrais sindicais e confederações de empregadores, dentro das suas áreas de abrangência e das suas possibilidades, são:

Ações informativas buscando fomentar a atividade de doar sangue

Campanhas destinadas a divulgar a importância do ato de doar sangue

Processos educativos com vistas à difusão de conceitos de solidariedade e cidadania, relativos à atividade de doar sangue

Outras atividades informativas e educativas que demonstrem e incentivem o ato de doar sangue.

Na solenidade, serão homenageados cinco doadores voluntários fidelizados (aqueles que doam pelo menos duas vezes em um ano) de cada região do país. Também estará presente a campeã de mountain bike Juliana Machado Rodrigues, que dará seu depoimento sobre a experiência como atleta doadora. Ainda durante o evento, o ministro da Saúde, Humberto Costa, vai apresentar as diretrizes da Política Nacional de Sangue (vide anexo).

Anualmente, o Dia Nacional do Doador Voluntário de Sangue é celebrado em 25 de novembro, e na última semana desse mês os principais serviços de coleta de sangue sempre realizam atividades para aumentar o número de doações. Portanto, a criação da Semana Nacional do Doador Voluntário de Sangue vem oficializar e ampliar uma prática já legitimada pela sociedade. Esse esforço pelo aumento das doações ocorre sempre em novembro pelo fato de a falta de estoques em unidades de saúde ser habitual em dezembro e janeiro, período em que há diminuição do número de doadores por causa das férias e festas. Ao mesmo tempo, é quando há um aumento no número de acidentes, elevando a demanda por sangue.

Campanha

O Ministério da Saúde realiza hoje e até o dia 20 de dezembro uma campanha de massa para conscientizar a população sobre a importância do ato de doar sangue. Com o slogan "Doe vida. Doe Sangue", a campanha estará nas rádios, em cartazes, folhetos e tentará mudar uma antiga cultura pela qual as pessoas preferem doar sangue a conhecidos. "Você só doa sangue para quem você conhece? Então a gente gostaria de apresentar algumas pessoas" , é a mensagem dos cartazes e folhetos, acompanhada de fotografias de várias pessoas. Nas rádios, atores interpretarão pessoas que necessitam de doações.

Para DOAR SANGUE é necessário

Estar em boas condições de saúde

Apresentar documento de identidade original ou fotocópia autenticada ou documento equivalente com foto e filiação

Ter entre 18 e 65 anos

Ter peso mínimo de 50 kg

Ter descansado no mínimo 6 horas nas últimas 24 horas

Não estar gripado ou com febre

Não estar grávida ou amamentando

Não ter ingerido bebida alcoólica nas últimas 6 horas.

NÃO poderá doar

Quem fez tatuagem, piercing ou tratamento com acupuntura nos últimos 12 meses

Portadores de vírus da AIDS, HBV, HCV ou HTLV

Pessoas que já viveram situações sexuais de risco acrescido

Quem possui histórico de doença hematológica, cardíaca, renal, pulmonar, hepática, ato-imune, diabetes, hipertireoidismo, hanseníase, tuberculose, câncer, sangramento anormal, convulsão após os dois anos de idade ou epilepsia, sífilis, doença de Chagas ou malária

Usuários de drogas. Medicamentos contra indicados para doação de sangue

Anemia

Mulheres grávidas não poderão doar sangue

Como é a Doação?

Ao chegar, a pessoa é submetida ao teste de Hemoglobinaou ou micro-hematócrito (para verificar se doador está com anemia), verificação dos sinais vitais (pressão arterial, batimento cardíaco e temperatura)

A pessoa passa por uma entrevista

Não havendo problemas, a pessoa estará habilitada à doação

Depois disso, é oferecido um lanche que deve ser tomado no local e, em seguida, o doador é liberado.

Interessante você saber que:

A doação não traz risco à saúde;
Todo material utilizado é descartável;
Mulher em período menstrual pode doar, desde que não esteja sentindo cólicas, dor de cabeça ou com fluxo muito grande;
Quem doa sangue uma vez não é obrigado a doar sempre;
Intervalo mínimo entre as doações:
Homens - 60 dias e no máximo 4 vezes ao ano;
Mulheres - 90 dias e no máximo 3 vezes ao ano.

Fonte: www.anvisa.gov.br

DIA NACIONAL DO DOADOR DE SANGUE

25 DE NOVEMBRO

Dia 25 de novembro é o Dia Nacional do Doador Voluntário de Sangue. A data criada em 1964 com o objetivo de valorizar a doação voluntária, é um ato simples e salva muitas vidas. Mas será que temos o que comemorar?

De acordo com dados da Fundação Pró-Sangue sim, mas há de se lutar contra a falta de informação e preconceito. Em 2002, foram coletadas no Brasil cerca de 3 milhões de bolsas de sangue, o que corresponde a menos de 2% da população. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), esse índice deveria estar em torno de 3% a 5%.

A Fundação Pró-Sangue, criada em 1984, é uma instituição sem fins lucrativos, ligada à Faculdade de Medicina e à Secretaria de Estado da Saúde. Considerada o maior hemocentro da América Latina, é responsável pela coleta de 53% do sangue consumido na Grande São Paulo, 24% do Estado e de 14% do consumido no Brasil.

Na Europa e Estados Unidos, a população foi conscientizada para a importância da doação em função de fatores históricos que envolveram conflitos internos, guerras e acidentes naturais. Nesses lugarestodos tinham um parente ou amigo envolvido com episódios que envolviam a necessidade de sangue, o que levou a uma sensibilização da população. O caso mais recente foi o atentado terrorista de 11 de setembro de 2001, em que aviões comerciais foram jogados contra as Torres Gêmeas do World Trade Center, em Nova York. Cerca de 25 mil pessoas foram retiradas do local e se não houvesse essa conscientização coletiva a situação poderia ter sido pior.

Para Aline Monteiro, hematologista da Pró-Sangue, a população americana e européia está sensibilizada para situações de catástrofe, mas a brasileira não. Aline estava de plantão médico no dia 31 de setembro de 1996, quando um avião Fokker 100 da TAM, com destino ao Rio de Janeiro, caiu nas proximidades do Aeroporto de Congonhas logo após a decolagem, matando 96 pessoas. "Várias pessoas correram aos hospitais para doar sangue, em função dos apelos feitos pelo rádio e televisão", diz ela. E adverte: "Nós não temos estoque necessário para esse tipo de acontecimento, se alguma catástrofe acontecer não estamos preparados. É necessário prevenir". Ela admite que em grandes metrópoles, como São Paulo, a dificuldade de locomoção e as distâncias podem ser um empecilho."Mas não podemos ser pegos de surpresa nessas situações", enfatiza.



Desde 1995 a Pró-Sangue vem trabalhando em campanhas de informação e conscientização como a "Imite seu Ídolo. Doe Sangue", que contabiliza a participação de mais de 50 artistas e formadores de opinião. A partir disso, o número de doadores voluntários vem aumentando: de 20% em 1995, para 68% em 2003 em São Paulo. No restante do País o número de doações é inferior a 40%.

Fernado Zahorcsak, 25 anos, é um exemplo. Funcionário do Hospital Universitário, no campus da capital, há um ano e meio, doa sangue voluntariamente desde 1996. "Doar é uma coisa que não custa nada e salva muitas vidas. Não é um ato altruísta, mas consciente", afirma ele. É com toda essa simplicidade que Zahorcsak define o ato de doar vida aoutra pessoa. "Quando era mais novo escutava histórias que o povo conta, como, se você doar sangue uma vez tem que doar sempre. Isso é mentira", diz convicto.





Zahorcsak é membro do Clube Irmãos de Sangue, criado em 1998 para homenagear os fiéis doadores voluntários. Hoje o clube contabiliza 1.790 associados.

Mensalmente, a Pró-Sangue coleta e processa cerca de 15 mil bolsas de sangue destinadas a 300 hospitais da região metropolitana de São Paulo. Para se tornar um doador é simples. Basta ter entre 18 e 65 anos de idade, pesar no mínimo 50 kg e estar em boas condições de saúde. Os únicos impedimentos temporários são: gripe ou febre; aguardar 90 dias após o parto normal e 180 dias após a cesariana, e 12 meses para quem estiver amamentando. Para quem realizou endoscopia ou fez tatuagem, aguardar 12 meses. No dia da doação não se deve ingerir bebidas alcoólicas.

Contudo, há casos de impedimentos definitivos. Para pessoas que já tiveram doença de Chagas, malária ou hepatite após os dez anos de idade, e para quem participa de situações nas quais há maior risco de contrair o HIV e sífilis.

Em 2002, a fundação recebeu o certificado ISO 9002, da British Standards Institution, tornando-se o primeiro hemocentro público brasileiro a ter o controle de qualidade de seus produtos e serviços testados por um organismo internacional de renome.



O alto rigor no cumprimento dessas normas visa a oferecer proteção ao receptor e ao doador. Na triagem, o doador, que deve ser totalmente sincero em suas informações, passa por uma entrevista de avaliação. A doação pode ser agendada por telefone – 0800-55-0300 – ou pelo site.

De 24 a 29 de novembro a Pró-Sangue realizará nos postos de coleta uma grande festa para comemorar a marca de cerca de 70% de doações voluntárias. Participe do dia "de quem salva vidas", e faça parte do Clube Irmãos de Sangue.

Fonte: www.usp.br

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Um conto gostoso de ler


O Natal de uma familia diferente.

Por Ignácio de loyola Brandão



Como se tivessem combinado, chegaram juntos, cada um com um pacote na mão, envolto em papel festivo. Renata, minha filha, beijou Celso e Ricardo, eles entregaram os presentes. Ricardo apresentou os dois jovens que tinham entrado junto.
- São amigos de faculdade, um de minha turma, outro do Celso. Moram fora de São Paulo e queriam conhecer meus irmãos.
Os dois apertaram as mãos, entregaram uma garrafa de vinho cada um, desejaram feliz Natal.
- Ainda que faltem alguns dias, mas vamos lá.
- Faltam sim uns dias, mas o almoço foi programado para hoje por um motivo forte. Único dia em que os irmãos podiam se juntar. Cada um está num lado, foi preciso armar com antecedência. Primeiro Natal que passam juntos!
Expliquei com um sorriso, porque eu sabia o que eles não sabiam.
O almoço foi servido, uma carne tenra de peru com salada de endívias. Os colegas de faculdade estavam curtindo o encontro dos irmãos.
A certa altura, surpreenderam-se quando Celso perguntou à Renata:
- E seu pai? Vem?
- Não sei ainda!
Os dois olharam para a Renata, olharam para Juliana, voltaram-se para mim. Afinal, não era eu o pai? Percebi a perplexidade. Não era uma reunião de irmãos? Almoço vai, almoço vem, Renata virou-se para Celso:
- Perguntou do meu. E o seu pai?
- Sabe que ele nunca vem. Desentendeu de vez com minha mãe, mudou-se de São Paulo.
Os dois colegas de faculdade se entreolharam perplexos como que perguntando: que irmandade é esta? Que pais são esses? Não resistiram:
- É ou não é um almoço de Natal entre irmãos? Que conversa é essa do seu pai, do pai dela? Uma brincadeira, pegadinha, o quê?
- Nada disso, comentou Ricardo, o mais velho de todos. Este almoço é especial Um almoço de Natal, dias antes do Natal, e há muito esperado. Somos irmãos não irmãos. Nos consideramos irmãos e vivemos como irmãos.
- Continuamos sem entender.
Todos riram. Renata entrou na conversa:
- Minha mãe é esta, a Juliana. Casou-se com meu pai aos 24 anos, e nasci. Um ano depois, meu pai se mandou. Dois anos depois, minha mãe casou-se de novo com o Rodrigo, este aqui na ponta da mesa, com quem vivo há 24 anos.
Portanto ele é meu pai, o homem que me criou, educou.
Ricardo pegou a deixa:
- Rodrigo é meu pai. Era casado com a Cássia, minha mãe. Quatro anos depois de eu nascer, eles se separaram. Meu pai ficou anos sozinho, até se casar de novo com a Juliana. Nossos Natais sempre eram esquisitos.
A ceia com minha mãe, o almoço do dia seguinte com meu pai. Então, minha mãe, a Cássia, se casou de novo com o Edu. E nasceram Celso e João.
Celso está aqui, o João está no estrangeiro. Meus irmãos por parte de mãe. Depois, Cássia e Edu se separaram, ele ficou um tempo, casou-se de novo, tem um filho, Marcelo. Que ainda vai chegar porque este encontro foi planejado. Assim teremos pais não pais e irmãos não irmãos. Um Natal diferente, porque nos uniu e estamos curtindo.
Os colegas de faculdade compreenderam, ainda que ressabiados. Porém sentiram o bom astral e ficaram em dúvida. Quem são os diferentes aqui? Nós, ou eles? Quem são os normais? Perguntaram rindo. É, o mundo mudou, mas o Natal continua Natal, unindo pessoas. E foram abertos espumantes frescos e delicados.

Inácio de Loyola Brandão, 74 anos, é escritor e jornalista, tem 35 livros publicados entre romances, contos, biografias, crônicas, viagens e infantis.
Cronista quinzenal do jornal O Estado de S.Paulo

terça-feira, 23 de novembro de 2010

AROMATERAPIA


Aromaterapia é um termo criado pelo quimico francês René Maurice Gattefossé nos anos vinte para descrever a prática de usar oléos de essências de plantas, flores, raizes, sementes, etc., em curas. O termo é enganador pois os aromas dos óleos, naturais ou sintéticos, não são em si terapeuticos. É a "essência" do óleo, i.e., as suas propriedades quimicas, que lhe dá o possivel valor terapeutico que o óleo possa ter. Mais ainda, só em certos casos da aromaterapia são usados vapores. Na maior parte dos casos, o óleo é espalhado na pele ou bebido em chá ou noutro liquido. E alguns aromaterapistas consideram cozinhar com ervas um tipo de aromaterapia. Aromas são usados para identificar os óleos, para determinar adulteração, mas não para fazer uma cura.

O poder curativo dos óleos é a principal atração da aromaterapia. É tambem a questão principal para os cépticos. Que evidências há de todas as afirmações feitas pelos aromaterapistas quanto às propriedades curativas dos óleos? Muito pouco, receio. A maior parte do suporte é na forma de episódios como este:

No avião a caminho da India [da Europa] há alguns anos, o meu indicador começou a doer violentamente. Um espinho de rosa que se tinha cravado há dois dias. Estava a ficar infectado. Imediatamente apliquei óleo da árvore do chá não diluido sobre o dedo. Quando cheguei a Bangalore, o inchaço tinha quase desaparecido e a dôr parara. (Daniele Ryman, Aromatherapy)

Este tipo de raciocinio post hoc abunda na literatura de cuidados de saude alternativos. O que seria mais convincente eram estudos controlados.

Quando são feitas referências a outros aromaterapistas, são geralmente do tipo:

Marguerite Maury prescreveu rosas para a frigidez, dando-lhe propriedades afrodisiacas. Tambem considerou a rosa um grande tónico para as mulheres que sofriam de depressão.(Daniele Ryman, Aromatherapy, p, 205)

Tais testemunhos nunca são encarados com cepticismo ou mesmo curiosidade quanto às provas que existem. São apenas passados como artigos de fé.

O unico tipo de investigação em que os aromaterapistas parecem interessados é em lerem o que os outros aromaterapistas disseram ou acreditaram sobre plantas e óleos. Os praticantes e vendedores de produtos aromaterapeuticos parecem particularmente desinteressados em testes às suas afirmações, muitas das quais são empiricas e podiam ser facilmente testadas. Claro que, há muitos aromaterapistas que fazem afirnações intestáveis, como que certos óleos equilibram o chakra, restabelecem a harmonia do seu fluir de energia, ou contribuem para o crescimento espiritual. Por exemplo, Val Lariviere, auto-proclamado aromaterapeuta, afirma que

Na sua base, a pratica de aromaterapia é o uso de óleos essenciais para restabelecer ou elevar a saude mental, emocional, fisica ou espiritual. É sobre o equilibrio so mesmo modo que a doença é sobre desiquilibrio. É o regresso ao centro, a essência da vida.

Isto é intestável. São parte da mitologia da Nova Era e não podem engendrar nenhum debate significativo. Quando aromaterapeutas entram em debates profissionais sobre matérias empiricas é geralmente sobre questões como se os óleos naturais são superiores aos sintéticos, apesar de mesmo aqui ser inutil procurar referência a estudos científicos sobre a questão. O modo como a aromaterapeuta Daniele Ryman, uma defensora dos óleos naturais, trata a questão da "lavanda" é tipica.

No seu livro, Aromatherapy, dá-nos alguma informação botânica e histórica sobre a planta, incluindo uma afirmação Matthiole, um botânico do século XVI, de que a lavanda é uma panaceia que pode curar epilepsia, apoplexia e problemas mentais. Diz-nos que a lavanda é "o óleo mais associado a queimaduras e cura da pele." Diz que é "muito efectiva no tratamento da sistite e vaginite." Mais, como chá, lavanda "é tambem bom como tónico matinal para convalescentes, como digestivo após refeições, para condições reumáticas, e ao primeiro sintoma de gripe" Para prevenir varizes, Ryman aconselha que "massage as pernas com um óleo constituido de 3 gotas de óleo de cipreste, 2 gotas cada de lavanda e óleo de limão, e 1 onça de óleo de soja." (p. 143).

Em lado nenhum dá qualquer indicação que alguem, algures, tenha feito qualquer estudo com lavanda para verificar as afirmações.

É verdade que expressões como "muito efectivo" e "é bom" não são muito precisas, mas dizem algo, ao contrário de "ajuda" (que é o que ela diz que a lavanda no banho faz à celulite).

E "mais associado" com queimaduras não diz se fará algum bem ou não. Apesar de tudo, penso que estas afirmações podem ser precisadas de modo a poderem ser testadas, embora duvide que Ryman ou outro aromaterapista tem algum interesse nesses testes.

Por alguma razão, Ryman não fala do uso da lavanda para reduzir o stress no seu capitulo sobre lavanda. Contudo, em "Insonia" diz que a "lavanda é um gentil narcótico, recomendado para tensão mental e fisica." Foi feito um estudo, não mencionado por Ryman, que comparou os efeitos em doentes de cuidados intensivos de aromaterapia usando lavanda, terapia de massagem e descanso. O estudo concluiu que o descanso era o melhor.

Não rejeito a aromaterapia. Quando tenho o nariz tapado uso Vicks VapoRub, uma mistura de cânfora, mentol e óleo de eucalipto. Pode-se dizer que sou um aromaterapista praticante. Mas, quando vejo o que aqueles que se auto-intitulam aromaterapistas afirmam, tenho de concluir que principalmente estamos perante uma terapia pseudocientifica de medicina alternativa. è uma mistura de folclore, testemunhos, espiritualismo Nova Era e fantasias. O que lhe falta é um cheiro de senso comum.

Por exemplo, um batalhão de aromaterapistas homeopáticos segue a chamada "terapia de flores de Bach," desenviolvida nos anos 1930 pelo fisico britanico Edward Bach (1886-1936). Bach afirmava ter psiquica ou intuitivamente descoberto os efeitos curativos de 38 flores selvagens. As suas "descobertas" foram atingidas por "inspiração."

Por exemplo, "...enquanto continuava o seu trabalho, a sua intuição tornou-se tão sensitiva que, segirando uma flor ou provando uma pétala, podia imediatamente quais seriam os seus efeitos curativos." [Who is Dr. Edward Bach?] Afirmava que essas flores tinham uma alma ou energia com afinidades à alma humana. A energia espiritual das flores é transferivel para água. Os devotos bebem uma mistura homeopática de essência da flor, água mineral e brandy de modo a pôr a alma da flor em harmonia com a energia da sua alma.

De acordo com San Felipe y Santiago de Montevideo, Uruguay, os remédios de flores "funcionam." Bach pensou que a doença era o resultado de "uma contradição entre os propósitos da alma e da personalidade." Esta guerra interna leva a disposições negativas e bloqueios de energia, que provocam uma falta de "harmonia" que leva a doenças fisicas. "Cada uma das 38 flores do sistema de Bach é usada para equilibrar dores emocionais especificas ou, em estados avançados de desiquilibrio, para refazer os sintomas fisicos." (correspondencia pessoal) Não sei o que significa dizer que a terapia "funciona", mas não vejo como se possa testar isto visto serem afirmações metafisicas.

O Dr. Bach parece modesto quando comparado ao trabelho de outros que seguiram as suas pétalas. Na California foi descoberto que as modestas margaridas são boas para "aumentar a percepção das relações karmicas para lá do limite." E outros para "a percepção dos sonhos e controle consciente da própria vida psiquica."

Não devemos esquecer que a aromaterapia é tambem usada para a beleza, mas deixo esse tópico a outros que queiram examinar o papel do efeito placebo nos cuidados de saude e cosmética da Nova Era.

Fonte: skepdic.com

O poder terapêutico das

essências aromáticas das plantas.

A Aromaterapia consiste em tratar as doenças com a ajuda de óleos extremamente concentrados extraídos dos vegetais. Esses extratos chamados essências ou óleos essenciais contêm as substâncias que dão perfume às plantas e, por isso, seu odor é a característica principal.

Os óleos essenciais são produzidos por minúsculas glândulas presentes nas pétalas, no caule, na casca e na madeira de numerosas plantas e árvores. Se, na natureza essas glândulas liberam os aromas das plantas de forma progressiva, quando aquecidas ou trituradas, elas explodem e liberam os odores com uma potência muito maior.

Para extrair o óleo essencial puro, recorre-se a um processo de destilação no vapor d’água. Se a essência é dissolvida no álcool ou em outro solvente, denomina-se essência absoluta. São menos puras que os óleos, porém conservam propriedades curativas interessantes.

Os usos dos óleos essenciais são múltiplos, mas eles são mais utilizados na unção da pele (massagem), podendo também ser inalados ou colocados na água de banho ou em compressas. Raramente são ingeridos. Certamente são mais eficazes quando inalados, pois provocam uma ação imediata no cérebro.

Não se deve pensar que a Aromaterapia não apresenta contra-indicações. Devem ser utilizados com precaução, pois podem causar irritação e alergia na pele.

Os aromaterapeutas utilizam cerca de 30 plantas e flores para tratar a maior parte dos problemas.

Os óleos essenciais são divididos em três categorias: os que tonificam o organismo e favorecem o bom humor; os que estimulam e regulam as principais funções do corpo; e os que têm um efeito calmante sobre o corpo e o espírito.

Alguns exemplos:

Óleo de Camomila – refrescante. Indicado para dores de cabeça e depressão;

Óleo de Cânfora – refrescante e estimulante. Indicado em resfriados, reumatismos, acne, insônia;

Óleo de Cedro – sedativo. Usado para angústia, bronquite e tosse;

Óleo de Limão – refrescante e estimulante. Para problemas circulatórios, hipertensão e acne;

Óleo de Eucalipto – libera a cabeça. Indicado para edemas e dores musculares;

Óleo de Gerânio – refrescante e antiespasmódico. Para problemas urinários e infecções virais;

Óleo de Jasmim – relaxante e calmante. Serve para tratar apatia e pele seca;

Óleo de Manjerona – fortificante. Indicado em enxaquecas, cólicas e equimoses;

Óleo de Patchouli – relaxante. Indicado na depressão e pele seca.

Óleo de Pimenta Cinza – estimulante. Usado em problemas digestivos, resfriados e diarréia;

Os óleos essenciais possuem propriedades anti-sépticas reconhecidas, como as da Lavanda e do Gerânio, que são eficazes contra infecções causadas por bactérias, vírus e fungos. São também apreciados pelas propriedades desintoxicantes do limão, alho, eucalipto e pelos efeitos calmantes junta à sensação de bem estar e harmonia que parecem produzir um efeito preventivo sobre as doenças.

Fonte: www.orientacoesmedicas.com.br

Aromaterapia é a arte e a ciência de usar óleos de plantas em tratamentos. Aromaterapia é uma das técnicas mais antigas da história de práticas de cura. Os óleos essências de Aromaterapia são óleos extraídos de plantas da qual tem sido usado por milhares de anos antes da técnica de destilação de óleos ter sido descoberto.

Os óleos essenciais exercem uma influência sutil na mente e no corpo. Através da Aromaterapia, a cura pode ser feita de uma maneira gentil e natural. Uma qualidade importante dos óleos essenciais é a grande variedade de maneiras em que podem ser usados. Podem ser usados em massagens, já que é reconhecido como uma das formas mais importante de tratamento, também podendo ser usados em banhos. A água em si tem muitas propriedades terapêuticas, e quando combinado com os óleos essenciais, os óleos realçam o seu efeito. Também, podem ser usados como compressas, tanto quente como frio em circunstâncias diferentes. Os óleos podem ser misturados em cremes, loções para o corpo ou mesmo algumas gotas em seu travesseiro para ajudar a ter uma boa noite de sono.

Os óleos essenciais são absorvidos rapidamente através da pele. Mesmo se as essências forem usadas em cremes, loções para o corpo, banhos, compressas ou em massagens, uma boa quantidade da essência é inalada. O aroma sozinho tem um efeito sutil e real na mente e no corpo. É preciso ter cuidado quando usando os óleos essenciais. Quando são usados de maneira correta, são seguros. Alguns óleos são perigosos de se usar e devem ser tratados com muito cuidado.

Use uma quantidade pequena de qualquer óleo em qualquer tipo de tratamento. Para aplicar massagens, dilua 3% do óleo essencial escolhido em óleo vegetal. Por exemplo, use 3 gotas de óleo essencial para cada colher de chá de óleo vegetal. Para banhos, muito cuidado deve ser tomado, já que os óleos tendem à flutuar em vez de serem diluídos. Os óleos podem irritar a pele quando são usados em quantidades excessivas, dependendo do tipo de pele. A quantidade recomendável para ser usado em banhos é de somente 2 à 3 gotas. Óleos derivados de plantas picantes como a de Clove e Nutmeg, deverá ser evitado de serem misturados juntos. Quando preparando banhos para crianças ou bebês, não excidir mais de 3 gotas de óleo essencial. Lembre-se sempre de diluir qualquer tipo de óleo antes de serem usados em banhos. Para inalações, 1 gota de óleo essencial pode ser suficiente, e 3 gotas podem ser usado no máximo. Antes de preparar uma inalação, sempre experimente uma gota de óleo essencial primeiro antes de adicionar mais.

Óleos Essenciais

ACNE

Os óleos essenciais podem ser usados em tratamento de pele, especialmente para ajudar a reduzir a quantidade de sebo produzido na superfície da pele. Também podem ser usados em massagens para estimular a circulação e ajuda a eliminar toxinas do corpo. Os seguintes óleos podem ser usados: Lavender e Tea-tree, ambos tem ação anti-bacterial. Bergamot possui propriedades adstringentes e anti-depressante. Geranium pode ser usado para balancear a secreção de sebo.

PELE MATURA (SINAIS DE ENVELHECIMENTO)

Óleos essenciais podem ajudar a reduzir sinais de velhice. Podem ser usados em cremes e em massagens. Ajuda a minimizara maioria dos problemas de envelhecimento da pele. Os seguintes óleos podem ser usados: Neroli e Lavender são os óleos mais usados e mais sutis para pele matura. Para problema de pele oleosa, massageie a pele com os óleos Geranium, Jasmine, Neroli ou Rose. Esses óleos ajudarão a restaurar o balanço natural da pele.

SPRAYS

Uma das maneiras mais simples de introduzir óleos essenciais no ar. Simplesmente misture um ou mais óleos essenciais com água e use como spray. Os óleos essenciais são melhores dissolvidos em álcool. Essa mistura irá funcionar somente por um período curto. Lembre-se de sacudir bem a mistura antes de usar. Os seguintes óleos podem ser usados: Tea-tree, Bergamot, Eucalyptus e Lavender. Use 20 gotas de óleo essencial para cada 200ml de água.

ALERGIA

Os seguintes óleos essenciais podem ser usados: Chamomile, Lavender e Melissa são os mais comuns e usados em alergias gerais. Podem ser usados em banhos, inalações, compressas ou em cremes para o corpo. Para aliviar o estresse, os óleos essenciais mais usados são: Bergamot, Neroli, Rose, Jasmine, Sandalwood e Ylang Ylang.

ANOREXIA

O melhor método para tratar de anorexia é através de massagens. Os seguintes óleos essenciais podem ser usados: Lavender, Chamomile, Neroli, Ylang Ylang e Clary Sage. Esses óleos possuem propriedades calmantes e anti-depressante. O óleo Bergamot pode ser usado para ajudar a regularizar perda de apetite.

ANSIEDADE

Qualquer um dos óleos mencionados a seguir possuem propriedades sedativa que podem ajudar nesse caso. Escolha qualquer um dos seguintes óleos: Bergamot, Chamomile, Cedarwood, Clary Sage, Cypress, Geranium, Jasmine, Juniper, Lavender, Marjoram, Melissa, Neroli, Rose e Ylang Ylang. Esses óleos ajudam particularmente se forem usados em massagens ou em banhos.

APETITE

Se houver diminuição ou perca de apetite, alguns dos óleos essenciais podem ajudar a estimular o problema. Os seguintes óleos essenciais podem ser usados: Chamomile, Cardamom e Bergamot. Use esses óleos em massagens e banhos.

ARTRITE

Artrite pode causar vários problemas como; ácido úrico pode ser depositado entre as juntas, criando tipo de cristais causando inflamação, dor e perca de flexibilidade. Alguns óleos essenciais podem ser usados para ajudar a combater esses problemas. Os seguintes óleos podem ser usados: Cypress, Juniper e Lemon são óleos poderosos pelas suas propriedades desentoxificantes. Podem ser usados em banhos e massagens para ajudar o corpo a se livrar de toxinas.

ASMA

Em casos de estresse e ansiedade, use os seguintes óleos essenciais: Bergamot, Chamomile, Lavender, Neroli e Rose. Todos esses óleos mencionados são anti-depressantes. Os óleos Bergamot e Lavender são ótimos para problemas no peito.

DORES NAS COSTAS

A melhor maneira de se tratar dores nas costas e a mais eficaz é através de massagens. Use os seguintes óleos essenciais: Lavender, Marjoram e Rosemary para reduzir a dor, tensão e para tratar dores musculares. Os óleos Black Pepper ou Ginger pode ser usado onde houver dor aguda.

SANGRAMENTO

Vários óleos essenciais podem ser usados para parar sangramento. Use qualquer um desses óleos: Lemon, Geranium e Rose. Dilua algumas gotas de óleo Lemon e use para tratar de qualquer tipo de corte. Não use o óleo Lemon sem dilui-lo primeiro, já que por causa de suas propriedades fortes, poderá queimar a pele.

BOLHAS

Adicione algumas gotas de óleo Lavender em um pedaço de algodão e cubra a bolha. Não cubra a bolha com esparadrapo ou band-aid. Isso evitará que a pele respire propriamente.

BRONQUITE

Os seguintes óleos essenciais podem ser usados quando os sintomas ainda estiverem aparecendo. Faça inalações com qualquer um desses óleos: Bergamot, Eucalyptus, Lavender ou Sandalwood, especialmente se houver uma tosse seca e dolorosa. Os óleos essenciais mencionados oferecem grande alívio para qualquer sintoma que estiver relacionado com bronquite. Use os seguintes óleos para casos mais extremos e que estejam em estado mais grave: Basil, Benzoin, Bergamot, Marjoram, Sandalwood ou Thyme. Esses óleos ajudam a limpar os pulmões e a prevenir maiores complicações.

HEMATOMAS

Alguns óleos essenciais podem ser usados para reduzir hematomas. Use qualquer um desses óleos: Fennel, Hyssop ou Lavender. Pode ser usado em compressas fria. Outro óleo que pode ser usado para reduzir dor é o Lavender. Em caso de hematomas severas use Black Pepper, Chamomile ou Lavender.

QUEIMADURA

Um dos óleos mais conhecidos para tratamentos em queimaduras e um dos mais eficazes é o óleo Lavender. O óleo Lavender é anti-séptico e possui propriedades analgésicos. Outro óleo bastante eficaz é o Tea-tree. Para queimaduras mais graves, use o óleo Lavender. Coloque algumas gotas em um gaze estéril e aplique diretamente na queimadura.

CATARRO

Para aliviar congestões imediatamente, use os seguintes óleos essenciais: Lavender, Eucalyptus, Peppermint, Rosemary, Thyme e Tea-tree. Qualquer um desses óleos podem ajudar a combater infecções. O melhor método para se livrar de catarro é através de inalação.

CALVÍCIE

Faça massagem no couro cabeludo para ajudar a aumentar a circulação. Os seguintes óleos essenciais podem ser usados para ajudar a combater esse problema. Rosemary, Lavender e Thyme. Esses óleos possuem propriedades que estimulam o crescimento de cabelo.

CATAPORA

Se uma criança estiver com catapora e se for velha o suficiente (4 anos de idade), faça banhos usando os seguintes óleos essenciais: 2 gotas de óleo Tea-tree com 2 gotas de óleo Chamomile para reduzir coceira. Ou tente misturar 1 gota de cada um desses óleos: Bergamot, Eucalyptus, Chamomile e Lavender. Para adultos, use os seguintes óleos: 3 gotas de óleo Ti-tree com 1 gota de cada um cada um desses óleos; Bergamot, Chamomile e Lavender. Faça banhos à cada 4 horas para melhores resultados, a menos que o paciente esteja sentindo fraqueza.

CIRCULAÇÃO

Para estimular a circulação no local, faça massagens com qualquer um desses óleos: Black Pepper, Juniper, Marjoram ou Rosemary. Para problemas de vermelhidão, faça massagens com os óleos Chamomile e Cypress.

RESFRIADO

Os seguintes óleos essenciais são recomendados para combater resfriados: Lavender, Eucalyptus, Tea-tree, Peppermint, Rosemary e Pine. Pode ser usado através de inalações, especialmente se houver infecção na garganta. Outro óleo que pode ser usado em banhos e ajudar a reduzir arrepios e dores é o Marjoram. Também pode ajudar em dores de cabeça que são associados com o resfriado.

PRISÃO DE VENTRE

Vários óleos essenciais podem ser usados para ajudar com problemas de prisão de ventre como: Marjoram e Rosemary. Esses dois óleos podem ser usados juntos. Faça massagens no abdômen no sentido horário.

TOSSE

Para combater infecções, o melhor óleo essencial que possui propriedades anti-bacteriais é o Thyme. Outros óleos também podem ser usados para combater tosses como o Benzoin, Eucalyptus, Lavender, Marjoram e Sandalwood. Massageie a garganta e o peito com qualquer um desses óleos mencionados acima.

RACHADURAS NA PELE

Podem ser tratados com os óleos Benzoin, Lavender e Myrrh. Se a rachadura estiver úmida, use o Myrrh. O Myrrh é o melhor óleo nesse caso. O Myrrh também pode ser misturado com o Benzoin e o Lavender para melhores resultados.

CISTITES

Os seguintes óleos essenciais podem ser usados: Bergamot, Chamomile, Eucalyptus, Garlic, Lavender, Sandalwood e Tea-tree. Os óleos Bergamot e Tea-tree podem ser usados em banhos. O óleo Chamomile pode ser usado também para aliviar dor e irritação. Os óleos Bergamot e Lavender ou Chamomile podem ser usados em massagens.

DEPRESSÃO

Se a depressão estiver impedindo repouso, causando irritação ou incapacidade de dormir, use os seguintes óleos essenciais: Chamomile, Clary Sage, Lavender, Sandalwood e Ylang Ylang. Para ajudar a levantar os espíritos e melhorar o humor use os óleos Geranium, Melissa e Rose. Podem tanto serem usados em massagens quanto inalações.

DIARRÉIA

Os seguintes óleos essenciais podem ser usados para aliviar os sintomas relacionados à diarréia: Chamomile, Cypress, Eucalyptus, Lavender, Neroli e Peppermint. Esses óleos são os mais eficazes. Para aliviar dores, use os seguintes óleos: Benzoin, Ginger ou Black Pepper. Faça massagens suaves sobre o abdômen, isso ajudará a aliviar a sensação de aperto.

INFECÇÃO DE ORELHA

Faça compressas quentes com o óleo Chamomile para acalmar a dor e para reduzir infecções que estão sendo desenvolvidas. Faça massagens suaves em volta da orelha.

ECZEMA

Os óleos: Chamomile, Lavender, Melissa e Neroli podem ser usados em massagens e em banhos. Todos esses óleos mencionados podem ajudar a reduzir níveis de estresse.

TONTURA

Vários óleos essenciais podem ajudar em problemas de tontura, desmaio e em estado de choque. Use os seguintes óleos: Peppermint e Neroli. Experimente também os óleos Lavender e Rosemary. Nesse caso, simplesmente segure o vidro de óleo essencial perto do nariz do paciente ou coloque uma gota de um desses óleos no pulso do paciente ou em um lenço e ponha perto do paciente para inalar.

FADIGA

Qualquer um desses óleos essenciais pode ser usado para ajudar o corpo a se recuperar de fadiga. Use os óleos: Basil, Geranium, Nutmeg, Rosemary, Thyme, Marjoram ou Pine. Também, uma mistura de três óleos de sua escolha pode ser usado para o tratamento. Esses óleos ajudarão a restaurar e tonificar o corpo, limpar a mente e dar mais energia. Podem ser usados em massagens ou em banhos.

FEBRE

Use os seguintes óleos essenciais: Basil, Chamomile, Cypress, Juniper, Lavender, Peppermint, Rosemary e o Tea-tree. Esses óleos ajudarão o corpo a suar se for preciso. Para abaixar a temperatura, use os óleos Bergamot, Eucalyptus, Lavender e Peppermint. Esses óleos devem ser usados em quantidades justas. Adicione algumas gotas de qualquer um dos óleos mencionados acima em uma bacia com água morna, mas não quente.

FRIGIDEZ

Óleos essenciais luxuosos podem ser usados como o Rose e o Jasmine, que ajudará a aumentar a confidência. Use o óleo Neroli para acalmar a ansiedade que está presente e o óleo Ylang Ylang para ajudar a relaxar. Podem ser usados em banhos, cremes, loções de corpo ou em massagens.

CÁLCULO BILIAR

Os óleos Lavender e Rosemary são dois óleos essenciais que foram descobertos por ajudarem com esse problema. O óleo Rosemary é valioso por ajudar em problemas de inflamação na bexiga. Faça massagens sobre a área da bexiga.

GENGIVITE

Use os seguintes óleos essenciais para ajudar a combater a bactéria: Tea-tree e Thyme. Os óleos Fennel e Mandarin ajudam a fortalecer a gengiva e o óleo Myrrh possui propriedades tonificantes e de cura.

DOR, PENA OU FRACASSO

O melhor óleo para ser usado nesse caso é o Rose. Esse óleo pode ser combinado com o Benzoin para dar uma sensação calorosa. Também, os óleos Bergamot e Chamomile possuem propriedades calmantes e os óleos Lavender ou Melissa ajudam a trazer o sentimento de bem estar e ajuda a levantar os espíritos.

HEMORRÓIDA

Use os seguintes óleos essenciais Cypress ou Juniper em forma de aplicações locais e banhos regulares. Esses óleos também ajudam a melhorar a circulação geral.

ALERGIA DE FENO

Qualquer um dos óleos mencionados ajudarão a aliviar os sintomas de alergia. Use o óleo Lavender e Eucalyptus para aliviar sintomas relacionados à resfriado, ajudando a reduzir espirros e corrimento de nariz. Faça inalações usando qualquer um desses óleos mencionados acima. Experimente também os óleos Chamomile e Melissa para ajudar com os sintomas gerais de alergia.

DORES DE CABEÇA

Os óleos essenciais mais eficazes são: Lavender e Peppermint. Podem ser usados tanto juntos como separado. Outro óleo que pode ajudar a curar dores de cabeça é o Rosemary, ajudando a limpar a mente e a aliviar a dor. Aplique o óleo Lavender e o Peppermint perto das sobrancelhas ou faça compressas quentes e aplique perto das sobrancelhas, na testa ou atrás do pescoço.

CORAÇÃO

Somente alguns dos óleos essenciais podem ser usados quando houver problemas de coração. Use os seguintes óleos: Garlic, Lavender, Marjoram, Peppermint, Rose e Rosemary. Esses óleos são conhecidos pelas suas propriedades tônicas e tem efeito fortalecedor no músculo do coração. Também, outros óleos podem ser usados como o Lavender, Melissa, Neroli e Ylang Ylang são óleos recomendados para problemas de palpitação. Todos esses métodos mencionado deve ser aproximados com muito cuidado e atenção. Todos esses óleos podem ser usados tanto em banhos quanto em massagens.

HERPES

Os óleos Bergamot, Eucalyptus e Tea-tree são muito eficazes em tratamentos de herpes. Particularmente se aplicações forem feitas assim que os primeiros sinais de erupção aparecerem. Misture 6 gotas de qualquer um dos óleos mencionado em 5mls de álcool. O óleo Tea-tree também pode ser usado puro. Aplicações frequentes impedirão que novas bolhas se desenvolvam.

PRESSÃO DE SANGUE ALTA

Os óleos essenciais mais importantes são: Lavender, Marjoram e Ylang Ylang. O óleo Ylang Ylang ajuda em situações de falta de ar ou quando houver batida forte de coração. Todos esses óleos podem ser usados em massagens ou em banhos.

PRESSÃO DE SANGUE BAIXA

O melhor óleo essencial é o Bergamot. Ajuda a trazer a pressão baixa para o nível normal. Possui propriedades estimulantes e tonificantes. Outros óleos que servem como estimulantes são: Black Pepper e Peppermint, especialmente se for usado em casos de tontura e desmaio que ocorrem frequentemente.

HISTERIA

Qualquer um desses óleos podem ser usado: Chamomile, Clary Sage, Lavender, Marjoram, Melissa, Neroli, Peppermint, Rosemary e Ylang Ylang. Ajuda a criar um estado emocional e podem ser usados em massagens, banhos, como sprays ou mesmo queimando algumas gotas de qualquer um desses óleos em um cômodo como perfume.

IMPOTÊNCIA

O melhor óleo para ajudar com esse problema é o Sandalwood, possuindo poderes afrodisíacos. O óleo Jasmine ajuda a restaurar e aumentar a confidência. O óleo Neroli ajuda a combater a ansiedade e o Clary Sage ajuda em problemas de relaxamento. Não use Clary Sage se consumido álcool. Faça banhos antes de ir para a cama.

INDIGESTÃO

Use os óleos essenciais Chamomile, Lavender e Marjoram para tratar de problemas de indigestão. Possuem propriedades calmante e tem efeito confortante. Faça massagens suaves sobre e em volta do estômago.

INSÔNIA

Use os seguintes óleos essenciais: Lavender, Chamomile e Neroli para tratar de problemas de insônia. Esses óleos são os mais eficazes e poderosos pelos seus efeitos tanto na mente quanto emocionalmente. Ajuda a acalmar, balancear e aliviar a ansiedade. Pode ser usado em banhos ou mesmo algumas gotinhas de óleo Lavender no travesseiro irá garantir uma boa noite de sono.

COCEIRA

Use o óleo Chamomile para ajudar a aliviar coceiras. Use Lavender e Melissa como alternativas se preferir. Faça banhos dependendo do local da coceira e da área afetada no corpo. Esses óleos também podem ser usados em cremes e em loções de corpo. Se a área afetada é pequena, use 1 ou 2 gotas de qualquer um dos óleos mencionados acima e esfregue diretamente sobre a pele.

LARINGITE

O melhor óleo essencial para ser usado é o Benzoin. O óleo Lavender e Sandalwood podem ser usados como alternativa. Nesse caso, faça inalações, já que o vapor quando sobe alivia a respiração e ajuda a combater inflamações.

MENOPAUSA

Os seguintes óleos essenciais podem ser usados para ajudar em períodos de menopausa e para minimizar problemas físicos. O óleo Geranium ajuda a balancear os hormônios, o óleo Rose ajuda a tonificar e limpar o útero, ajudando ao mesmo tempo a regular o ciclo menstrual O óleo Chamomile tem efeito suave, calmante e funciona como anti-depressante. Existe muitos outros óleos que possui propriedades anti-depressante como o Bergamot, Clary Sage, Jasmine, Lavender, Neroli, Sandalwood e Ylang Ylang. Use qualquer um desses óleos em banhos e em massagens.

FADIGA MENTAL

Use os seguintes óleos essenciais: Basil, Peppermint e Rosemary são os óleos mais eficazes para ajudar com esse tipo de problema. Podem ser usados em banhos, adicionando 6 gotas de qualquer um desses óleos mencionados acima.

ENXAQUECA

Faça compressas fria com os óleos Lavender ë Peppermint. Aplique as compressas na testa e perto das sobrancelhas, ou faça massagens do lado das sobrancelhas como o óleo Lavender.

HUMOR

Use os seguintes óleos essenciais para ajudar em problemas de mal humor e como anti-depressante. Use Bergamot, Grapefruit e Orange. Esses três óleos possuem propriedades calmante, estimulante e tem efeito balanceador. Podem ser usados em massagens, em banhos ou em perfumes.

ÚLCERAS DA BOCA

Use o óleos essencial Myrrh, conhecido pelas suas propriedades de cura. Funciona como um anti fungo. Aplique o óleo em um pedaço de algodão diretamente sobre a úlcera. Pode ser usado em bochechos, diluindo algumas gotas em água morna.

DORES MUSCULARES

Para obter um efeito relaxante e para aliviar problemas como; indigestão, cólicas ou câimbras, use Bergamot, Black Pepper, Chamomile, Clary Sage, Cypress, Fennel, Juniper, Lavender, Marjoram, Melissa, Neroli e Peppermint. Faça compressas quentes sobre a área afetada.

PNEUMONIA

A forma mais eficaz de tratamento é definitivamente através da inalação. Tratamento médico é absolutamente necessário, nesse caso reforçado com tratamento de aromaterapia usado com cuidado. Os seguintes óleos podem ser usados: Eucalyptus, Lavender, Pine e Tea-tree.

TENSÕES PRE-MENSTRUAIS

Faça massagens usando os óleos essenciais Geranium e Rosemary para prevenir retenção de fluído. Para reduzir depressão e irritação, use o Bergamot, Chamomile e Rose. A melhor forma de tratamento é através de massagens ou banhos.

REUMATISMO

Os óleos essenciais mais eficazes são: Chamomile, Lavender, Marjoram e Rosemary. Faça compressas quentes para aliviar a dor. Também, faça massagens regulares sempre que possível para estimular a circulação geral e ajudar o corpo a se livrar de toxinas. Os óleos mencionados acima podem ser usados em banhos para ajudar na eliminação de toxinas.

CHOQUE

O óleo Arnica é muito conhecido pelo seu uso em homeopatia. Pode ser usado da mesma maneira que os florais, diluindo algumas gotas do óleo em um copo com água. Não tome florais se estiver tomando o óleo essencial, já que o óleo funciona como antídoto aos remédios homeopáticos.

SINUSITE

Faça inalações frequentes. Use os seguintes óleos essenciais: Eucalyptus, Lavender, Peppermint, Pine, Thyme e Tea-tree. Quando houver muita dor, use o Eucalyptus, Peppermint e Pine para ajudar a aliviar a dor.

INFECÇÃO NA GARGANTA

Faça inalações usando qualquer um dos óleos Benzoin, Lavender ou Thyme para ajudar a aliviar o desconforto.

ESPASMO, ATAQUES

Faça massagem suave para aliviar espasmo usando os óleos Bergamot, Chamomile, Clary Sage, Fennel, Juniper, Lavender, Marjoram e Rosemary. Também pode ser usado em compressas quentes sobre o órgão.

TORCEDURAS

Use os óleos essenciais Lavender ou Chamomile. Faça compressas frias e nunca massageie uma torcedura.

ESTIMULANTES

Use os seguintes óleos essenciais: Basil, Black Pepper, Eucalyptus, Peppermint e Rosemary.

ESTRESSE

Use os óleos essenciais Bergamot, Chamomile, Clary Sage, Jasmine, Lavender, Marjoram, Neroli, Rose, Rosewood e Vetivert. Todos esses óleos podem ajudar a suportar o estresse. Use em banhos como óleo aromático.

QUEIMADURA DE SOL

Use o óleo Chamomile para refrescar e ajudar a abaixar a temperatura do corpo. Também, o óleo Lavender pode ser usado, especialmente se houver bolhas. Aplique o óleo Lavender diretamente sobre as bolhas.

DORES DE DENTE

O óleo Clove é o melhor óleo essencial para tratar de dores de dente. Possui propriedades anestésica e funciona como um poderoso desinfetante que ajuda a prevenir infecção. Coloque 1 gota de óleo Clove em um pedaço de algodão e aplique diretamente sobre o dente.

VERRUGA

Use os óleos Rosemary, Geranium, Grapefruit ou Juniper. O método mais eficaz de tratar verrugas é fazendo tratamento local.

VÔMITO

Faça massagens suaves sobre a área do estômago e faça compressas quentes. Use os seguintes óleos essenciais: Chamomile, Lavender, Lemon e Peppermint.

Benefícios dos Óleos essenciais

Óleos Essenciais Benefícios

Angelica Excelente tônico, estimulante e ajuda a fortalecer o sistema imune.

Arnica * Bom para hematomas, torceduras e dores musculares.

Basil Ajuda a limpar a mente e trata todos os tipos de problemas respiratórios.

Benzoin Calmante, estimulante, ótimos para resfriados e ajuda a aumentar o fluxo de urina.
Bergamot Antiséptico, refrescante e invigorante.

Black Pepper Trata problemas digetivos, tônico e estimulante.

Cardamon Tônico, estimulante, ivigorante, ajuda na digestão, náusea, queimação e diarréia.

Cedarwood Antiséptico, astringente, eficaz em problemas de cistites e infecções vaginais.

Chamomile Calmante, levanta os espíritos, ajuda em problemas com sono, relaxante, ajuda a reduzir dores físicas e inflamações.

Clary Sage Ajuda em todos os tipos de estresse e tensões, relaxa os músculos, ajuda em problemas de asma e reduz a ansiedade.

Clove Calmante e energizante.

Cypress Astringente, ajuda na circulação, usado para tratar asma e ajuda a regular o ciclo menstrual.

Eucalyptus Estimula o sistema imune, descongestionante, poderoso anti-bacterial e anti-viral.

Fennel Ajuda a eliminar toxinas, alivia artrite e náusea, ajuda em problemas de digestão e cólicas.

Garlic Tosse, resfriados, dores de barriga, reumatismo e problemas intestinais.

Geranium Antiséptico, anti-depressante, astringente e ajuda a tratar feridas.

Ginger Ajuda em problemas de artrite, dores musculares, reumatismo e fadiga.

Grapefruit Elimina toxina, diurético, ajuda em problemas de retensão de fluídos, desentoxificador e estimulante.

Hyssop * Ajuda a combater infecções no peito, tônico, estimula o coração e o sistema respiratório.

Jasmine Câimbras e dores relacionados ao ciclo menstrual.

Juniper Diurético, antiséptico e ajuda o corpo a se livrar de toxinas.

Lavender Calmante, anti-viral, descongestionante e tem efeito sedativo.

Lemon Tônico, ajuda em problemas de gengivite, úlceras na boca e é ótimo para tratamento em cortes.

Mandarin Acalma o intestino, tônico, estimula o fígado e o estômago.

Marjoram Tem ação calorosa tanto no corpo como na mente, analgésico e sedativo.

Melissa Calmante para o corpo e a mente e trata de alergias em geral.

Myrrh Anti-inflamatório, antiséptico, ajuda a tratar de condições gerais de pele.

Neroli Estimulante, ajuda em problema de diarréia crônica, ansiedade e alivia tensão.

Nutmeg Estimulante e ajuda a proteger o corpo físico contra resfriados.

Orange Refrescante, anti-depressante, purificante, sedativo e ajuda em problema de diarréia crônica.

Peppermint Ajuda na digestão e cólicas, tem ação estimulante, purificante e tônico.

Pine Antiséptico, expectorante, refrescante, trata de dores musculares, ajuda em problema de bronquite e todos os tipos de resfriado.

Rose Tem efeito limpante, purificante, tônico e possue propriedades rejuvenecedores.

Rosemary Ajuda e estimular o cérebro, traz claridade mental, ajuda em problemas de sinusite e catarro.

Rosewood Dores de cabeça, traz claridade mental, levanta os espíritos e tem efeito afrodisíaco.

Sandalwood Ajuda em problema de bronquite, tratamentos de pele, sedativo, levanta os espíritos e tem efeito afrodisíaco.

Thyme Serve como antiséptico intestinal, ótimo para todos os tipos de infecções respiratórios, ajuda em problema de insônia, estimulante e fortalece a memória.

Tea-tree Antiséptico, calmante, estimulante e combate infecções.

Vetivert Alivia estresse, estimula o sistema imune, relaxante, ajuda em problema de reumatismo, artrite e dores musculares.

Ylang Ylang Anti-depressante, tem efeito afrodisíaco, sedativo, relaxante e alivia ansiedade.

* Óleos que devem ser usados com cuidado!

Fonte: www.mistico.com

Aromaterapia é a prática terapêutica que se utiliza dos Óleos Essenciais 100% puros para a prevenção e/ou tratamento auxiliar de problemas físicos, psicológicos e energéticos, visando proporcionar o bem estar geral do ser humano. Serve para tratar e/ou embelezar a pele, auxiliar na cura de doenças comuns, curar a alma, relaxar o corpo e a mente.

Em toda a história da civilização humana, as plantas medicinais e aromáticas foram utilizadas para purificar e perfumar ambientes, para afastar maus espíritos, tratar de problemas da pele, tratar de problemas físicos como no uso das infusões, nos processos de mumificação no antigo Egito, nos banhos romanos, etc.

Hoje a prática da Aromaterapia está se tornado bastante difundida pelos 4 cantos do mundo, mas ainda é, na maioria dos países, considerada como Medicina Complementar. Na França a Aromaterapia faz parte da formação médica.

A verdadeira Aromaterapia é a aplicação terapêutica dos Óleos Essenciais através de banhos, massagens, compressas, difusão no ambiente, etc usando sempre veículos neutros para diluí-los tais como: óleos vegetais, água ou álcool de cereais, preservando-se assim a propriedades químicas e a atuação físico-química no organismo humano, combinados com a atuação olfativa através do sistema límbico.

Fonte: estrelaguia.feminice.com.br

HISTÓRIA DA AROMATERAPIA

A Aromaterapia tem suas origens no uso de ervas para fins curativos, religiosos e estéticos. Civilizações como Egito, China e Índia usavam ervas para os mais diversos fins e de formas variadas.

A destilação dos óleos essenciais ocorreu apenas em 1.000 d.C. e revolucionou o mercado de perfumes internacional.

No século 16, os alquimistas já acreditavam ser o óleo essencial a parte da planta responsável em produzir a cura.

A Aromaterapia como é hoje conhecida é relativamente recente, descoberta quando René-Maurice Gatefossé, um químico francês sofreu um acidente em seu laboratório e providencialmente mergulhou seu braço ferido em um pote de lavanda, percebendo que com isto, seus ferimentos não infeccionaram e cicatrizaram rapidamente.

Após este incidente, passou a pesquisar os poderes dos óleos essenciais, cunhando o termo Aromaterapia.

Tudo isto no início do século 19, na França, sendo o precursor de muitos outros estudiosos na Europa, como Jean Valnet, Marguerite Maury e Robert Tisserand, do Instituto Tisserand, um dos maiores expoentes da atualidade em aromaterapia.

O QUE É AROMATERAPIA?

Aromaterapia é a arte e a ciência de utilizar óleos essenciais para proporcionar bem estar físico, mental e emocional. É um tipo de terapia extremamente simples em seu uso, apesar de exigir conhecimento e cuidados por parte do usuário e principalmente do profissional da área de saúde ou estética pois, por serem altamente concentrados, os óleos essenciais devem ser usados diluídos ou em baixas concentrações, para evitar reações de sensibilização e irritações, entre outras. Também pode ser considerada democrática, uma vez que a Aromaterapia combina-se bem com os mais diversos tipos de tratamentos, sejam convencionais ou alternativos. Além de tudo isto, a Aromaterapia é prazerosa, mexe com nossas emoções, nossos sentimentos, nossa VIDA.

COMO FUNCIONA A AROMATERAPIA

Podemos absorver o óleo essencial através da pele e do nariz, que são as vias mais seguras.

Na pele deve-se tomar cuidado extra, para evitar reações alérgicas, sensibilizações, queimaduras, irritações, etc. Para o uso seguro, deve-se diluir os óleos essenciais em veículos carreadores, como cremes neutros e óleos vegetais. Penetrando na pele, os óleos essenciais entrarão na corrente sangüínea e agirão nos órgãos internos, sendo excretadas as quantidades não metabolizadas. Pode-se fazer isto através de cremes e óleos corporais, massagens, tratamentos estéticos, compressas, etc.

Via olfato deve-se tomar cuidado com tempo de exposição e concentração. Uma parte do aroma inalado vai para os pulmões via traquéia, penetrando nos brônquios, bronquíolos e alvéolos, passando para a corrente sangüínea nas trocas gasosas, agindo da mesma forma da penetração cutânea. Outra parte do aroma vai para o cérebro, atingindo o Sistema Nervoso Central e mais especificamente o Sistema Límbico, que é nosso antigo Cérebro das Emoções, responsável por nossas emoções, nossos comportamentos e atitudes, nossa memória e nossos humores. Para esta via, pode-se usar aromatizadores pessoais, aromatizadores à vela ou elétricos e pot pourris.

Desta forma, cada óleo essencial agirá de uma forma diferente no nosso corpo, físico mental e emocionalmente, de acordo com sua composição química. Por isto, podemos dizer que a Aromaterapia é Holística, pois podemos atacar diversos males sob todos os aspectos, pois não podemos tratá-los isoladamente.

Fonte: www.bioessencia.com.br

A aromaterapia, praticada há milhares de anos é, tal como o seu próprio nome indica, uma terapia que cura através dos aromas – aromas 100% naturais, extraídos de flores, raízes, folhas, sementes, ervas, madeiras e resinas, e transformados em óleos essenciais que são utilizados na prevenção e no tratamento de doenças físicas e psicológicas.

AS RAÍZES

Parte integrante da medicina alternativa, a aromaterapia existe há mais de seis mil anos, tendo sido ativamente praticada nas antigas civilizações da Grécia, Roma e Egípcio. Aliás, o médico egípcio Imhotep recomendava o uso de óleos com fragrâncias no banho, nas massagens e, claro, no embalsamento dos mortos. O pai da medicina moderna, Hippocrates, seguiu os mesmos princípios e reza a história que terá realizado fumigações aromáticas para travar a praga em Atenas. Porém, o declínio do Império Romano levou ao desaparecimento destes conhecimentos aromáticos, que voltaram a dar que falar e cheirar por volta do ano 1000 d.C. na Pérsia. Nesta altura, os árabes iniciam a prática de destilação e o estudo das propriedades terapêuticas das plantas volta a ganhar força. Graças às Cruzadas, estes saberes regressam à Europa e, já em 1200 d.C. se produzia, na Alemanha, óleos essenciais com ervas e especiarias provenientes de África e do Extremo Oriente.

Quando a América do Sul foi invadida pelos Conquistadores, a descoberta de novas plantas medicinais e óleos aromáticos foi impressionante e a verdade é que também no Continente Americano os índios nativos passaram a ser conhecidos pela confecção de bálsamos e poções à base de plantas medicinais. Apesar desta prática consistente, foi apenas no século XIX que os cientistas europeus decidiram dedicar-se ao estudo dos efeitos destes óleos essenciais no homem. A palavra “aromaterapia” é uma invenção do químico francês René Maurice Gattefosse que, em 1910, descobriu os poderes curativos do óleo de lavanda quando se queimou no seu laboratório de perfumes e, procurando um alívio imediato, mergulhou a mão num recipiente com óleo de lavanda.

O alívio da dor foi imediata e o processo de cicatrização rápido, indolor e sem marcas posteriores. A partir daí dedicou a sua vida ao estudo dos poderes curativos dos óleos essenciais, tendo realizado vários tratamentos de êxito nos hospitais militares durante a I Guerra Mundial, experiências essas que documentou em diversos livros. Hoje em dia, a busca de uma forma de vida natural, com a mente, corpo e espírito em equilíbrio, aumentou a procura da aromaterapia.
Sentido de olfato

Um dos cinco sentidos, o nosso poder de cheirar é, em si só, extremamente potente, com efeitos curiosos. Por exemplo, um certo aroma pode despertar memórias de infância bem guardadas ou o cheiro de determinado alimento pode abrir o apetite a uns ou provocar náuseas a outros. Quando inalamos óleos essenciais, as nossas células olfativas são estimuladas e esse impulso é encaminhado para o sistema límbico – o centro emocional do cérebro – ligado à memória, à respiração, à circulação sanguínea e às hormonas. Na aromaterapia, as propriedades, a fragrância e os efeitos dos óleos essenciais estimulam estes diferentes sistemas.

Da mesma forma que a ligação estreita entre o olfato e o cérebro desencadeia um efeito indireto no sistema imunitário, que potencia a capacidade do corpo se sarar a si próprio. Enquanto medicina holística, a aromaterapia é uma forma de auto-cura porque incentiva o equilíbrio interno do organismo, mas também se manifesta ao nível físico uma vez que os óleos essenciais são conhecidos pelas suas poderosas acções revigorantes, anti-oxidantes, anti-bacterianas, anti-virais, anti-fungos, anti-inflamatórias, ansiolíticas e anti-espásticas.
Benefícios físicos, emocionais e espirituais

Escolhidos os óleos essenciais apropriados (sendo, por isso, importante procurar sempre um profissional de aromaterapia), os benefícios são mais que muitos e sentem-se a diversos níveis.
Mente – tratamento de cansaço mental, stress, tensão, certas fobias, insónias e outras perturbações do sono; aumento dos níveis de concentração, memória e produtividade.

Corpo – as propriedades anti-bacterianas dos óleos essenciais auxiliam na cicatrização de feridas externas; atuam no melhoramento da circulação sanguínea, na drenagem linfática e na eliminação das toxinas do corpo; tratamento de doenças de pele, perturbações digestivas, desequilíbrios hormonais, dores musculares e de articulações; aumento dos níveis de energia e bem-estar geral.

Estado emocional – os óleos essenciais também podem funcionar como um anti-depressivo potente, ajudando a acalmar e a aliviar estados de nervosismo, tristeza, pânico, ansiedade e de depressão; aumento dos níveis de auto-estima e de auto-confiança.

Estado espiritual – a aromaterapia também é utilizada para aumentar os níveis de consciência, percepção e de comunhão com forças maiores, sendo ainda parte integrante na prática da meditação.

ÓLEOS ESSENCIAIS

Os óleos essenciais utilizados na aromaterapia são extraídos de plantas, flores, raízes, folhas, sementes, ervas, madeiras e resinas e, posteriormente misturados com outras substâncias – caso do óleo, álcool ou loção – o que permite a sua utilização de forma prática. Executado por profissionais especializados, o método de extracção é um processo moroso e caro: são necessários 100 quilos de pétalas de rosas para produzir 5 colheres de chá de um óleo essencial! Um processo que também encarece o produto final, no entanto, e como se utilizam poucas gotas de cada vez e os efeitos são altamente eficazes, o investimento é considerado válido.

Utilizados a solo ou misturando mais que uma variedade, os óleos essenciais estão divididos em três categorias, ou seja, conforme as suas “notas” ou índice de evaporação.

Óleos de nota elevada – os mais estimulantes e revigorantes, têm um aroma forte, mas o seu perfume dura apenas entre 3 e 24 horas. Alguns exemplos incluem: basílico, bergamota, salva, coentro, eucalipto, laranjeira-amarga, hortelã-pimenta e tomilho.

Óleos de nota média – atuam ao nível das funções corporais e metabólicas e, embora menos potentes, a sua fragrância só evapora passados 2 ou 3 dias. Alguns exemplos incluem: erva-cidreira, camomila, funcho, gerânio, hissopo, junípero/zimbro, lavanda e alecrim.

Óleos de nota baixa – o seu aroma doce e calmante, tem efeitos relaxantes no corpo e é a fragrância que mais tempo dura, até uma semana. Alguns exemplos incluem: cedro, cravinho, gengibre, jasmim, rosa e sândalo.

APLICAÇÃO

Na aromaterapia, os óleos essenciais têm múltiplas aplicações:

Externa – aplicado diretamente na pele (diluído ou não), tratam feridas superficiais ou problemas de pele, ativando, em simultâneo, os receptores térmicos do corpo, matando micróbios e fungos.

Interna – ingerido através da diluição em água ou adicionado à alimentação, ativam o sistema imunitário.

Massagem/Banhos – largamente associados às massagens e banhos de aromaterapia, nestes casos os óleos essenciais são inalados, mas também são absorvidos pela pele, entrando no sistema circulatório que os transporta para os órgãos e restantes sistemas do corpo.

Difusão no ar – queimados como incenso ou colocados em recipientes ao ar livre, os óleos essenciais são captados pelas células olfativas e direccionados para o sistema límbico.

A AROMATERAPIA É SEGURA?

Enquanto tratamento 100% natural, a aromaterapia só poderia ser segura, no entanto, existem sempre algumas precauções que não devem ser descuradas, nomeadamente se é um principiante neste género de tratamentos. Antes de procurar a aromaterapia, informe e peça a opinião do seu médico de clínica geral. A aromaterapia não deve ser praticada por mulheres grávidas (alguns óleos como junípero, alecrim e salva podem provocar contracções uterinas); por crianças com menos de 5 anos (são muito sensíveis aos óleos); por pessoas com doenças crónicas; por pessoas com problemas de pulmões como asma, alergias respiratórias ou doença pulmonar crónica (podem causar espasmos respiratórios).

Salvo indiciação específica, os óleos essenciais não devem ser ingeridos; e deve evitar o contato com os olhos e a boca; estando sempre atento a qualquer sinal de reacção alérgica.

Fonte: www.bemtratar.com