Ocorreu um erro neste gadget

Ola´! Que bom que passou por aqui, seja bem vindo! ! Espero que goste e volte sempre!!!!

"O Segredo da vitória, em todos os setores da vida, permanece na arte de aprender,imaginar,esperar e fazer mais um pouco."
( Chico Xavier - ditado por André Luiz )

sexta-feira, 16 de julho de 2010

HISTÓRIA DO SALTO ALTO



Imagine a estrutura corporal da boneca Barbie. Bumbum empinado, peito para frente, símbolos de uma postura imponente, elegante. Tudo porque a Barbie “nasceu” de salto alto. Já você, descendente direta do homem de Neanderthal - que dispensava o uso de calçados - sofre para ficar com uma postura de boneca sobre saltos que muitas vezes ultrapassam o limite do bom-senso.

São dores da beleza, justificam as mais vaidosas. E comparadas ao ato de se depilar, sempre doloroso, usar salto alto tem uma grande vantagem: a gente se acostuma. Mas é do costume que vem o problema: se usado demasiadamente, o salto alto provoca uma mudança na musculatura, os músculos da parte de trás da perna ficam mais curtos e os da frente, mais longos.

E não é só isso: ele pode provocar danos à coluna (aumenta a lordose), dores no joelho, joanetes (mas a hereditariedade também ajuda), calosidades, tendinite, unhas encravadas (quando o modelo é de bico fino). Para quem já se acostumou com o salto alto, o desconforto vem na hora de calçar um sapato baixo. Irônico, não?

Então, devemos fazer um motim em prol da saúde e jogar todas as nossas sandálias, escarpin e botas no lixo? Não, o segredo é variar na altura. “Intercalar o uso de sapatos com saltos mais altos e mais baixos não acostuma a musculatura. O proibido nessa história é deixar que seus pés se acostumem a um tipo específico de salto”, diz a ortopedista Vera Lúcia Maia. “Se isso acontecer, cada vez que mudar a altura, a pessoa sentirá dor”, explica a médica.


Um modelo de calçado

"Segundo um estudo realizado pela Unifesp, o salto mais recomendado para uso diário tem até 4 cm”, conta a reumatologista Evelin Goldenberg. A altura pode até ser boa, mas o formato ideal dos calçados nada tem de fashion: o sapato perfeito deve ser largo nos dedos e de preferência com bico quadrado. Quadrado também pode ser o salto, pois esse formato garante mais estabilidade.

Mas como não é tarefa fácil achar o modelo descrito acima, é sempre bom saber que o salto plataforma tem moral com os especialistas. “As plataformas, por terem o salto alto por toda a extensão da sola, conseguem fazer uma melhor distribuição do peso do corpo”, conta Evelin.

Boa notícia

Cientistas da Unicamp descobriram a exceção da regra usar-salto-alto-faz-mal-à-saúde. Segundo pesquisa desenvolvida pelo cirurgião vascular João Potério Filho, o salto alto beneficia a circulação. A tese foi comprovada graças a um novo exame para medir pressão das veias das pernas.

Através do exame – feito com mulheres usando saltos de 7 cm e 10 cm -, foi constatado que o uso de salto alto diminui a pressão nas veias, o que provoca uma melhor circulação do sangue. Resultado: além de deixar suas pernas mais poderosas, o salto alto impede que elas fiquem inchadas.

Tendências, anatomia e uma observação

Já que a ordem é variar o salto alto – o que a gente adora, já que nada mais legal do que ter um bom motivo para usar um sapato diferente a cada dia – fizemos uma galeria com os sapatos mais lindos que apareceram nos desfiles de verão 2005 da São Paulo Fashion Week e do Fashion Rio.

Na galeria, você encontra tendências e comentários sobre a anatomia dos sapatos. Mas antes que você se sinta “liberada” para subir de vez no salto alto, um recado de Evelin: "A elegância de uma mulher não está apenas no salto do sapato, mas sim no vestuário, na educação".

O que levar em conta na hora de comprar um sapato novo

Não escolha o sapato pelo tamanho informado na sola. Priorize o conforto e o equilíbrio que o salto proporciona

Faça a compra no fim da tarde e à noite, quando seus pés estão mais largos

Uma boa forma de avaliar se um calçado vai ficar confortável é, ao calçá-lo, verificar se sobram de 0,5 a 1,3 cm entre o dedo maior e o final do sapato;

O calçado não deve ser de material duro

Se o sapato não é confortável, então não compre seduzida pela beleza, esperando que ele laceie

Nem um pouco largo, nem um pouco apertado: é preciso que o sapato esteja confortável na loja.

´Toda mulher que seduzir um homem para que ele se case com ela, utilizando-se de sapatos de salto alto ou outros artifícios(...)será castigada com as penas de bruxaria´´

Lei promulgada no séc. XV, pelo parlamento inglês.

Certo dia desses, fui questionada por uma criança sobre meu conto de fadas predileto, no momento da resposta não hesitei em nenhum momento e logo disparei: ´Cinderela´´,porém daí pra frente passei a questionar a mim mesma,sobre o que me atraia tanto naquela personagem e finalmente descobri que não era ela que me atraia e sim seu par de sapatos de cristal,talvez daí venha minha paixão por sapatos,que não se restringe apenas á compra do artigo,mas também a observação e o fato de serem tão reveladores.

Olhe o sapato de uma pessoa e você adivinhará o estado emocional dela; as metas e expectativas dessa pessoa; se a auto-estima dela está alta ou baixa; e, o que é mais importante, a atitude dela em relação a sexo.Alguns tipos de sapatos femininos, como mocassins e tênis, são sexualmente neutros.Mulheres que usam habitualmente esse tipo de calçado não se preocupam em propagar agressivamente a sua sensualidade.

Se você algum dia observou uma mulher de salto alto andando pela rua, sabe o poder de atração que esse tipo de sapato exerce.o ritmo de quem está usando salto alto é tanto auditivo como visual,uma combinação magnetizadora de passos em staccato com cadeiras de balanço.Comparada com suas irmãs de salto raso, uma mulher de salto alto é uma sereia, olhada tanto por homens como por mulheres -embora por motivos diferentes.

Apesar do custo relativamente baixo, o sapato de salto alto substitui a pulseira de brilhantes e o casaco de pele como símbolo do luxo.

Hoje, uma mulher que usa um sapato alto de um estilista de ponta é uma mulher de sucesso, assim como foi em 1945 uma mulher usando um casaco de visom pelo tornozelo.

Dessa forma, a importância do salto como uma afirmação da moda permanece incontestada, tanto que os nomes dos que desenham sapatos caros estão se tornando muito conhecidos, mesmo fora dos limites rarefeitos do mundo da moda.

Sapateiros exclusivos sempre existiram,mas é um testemunho da importância atual dada ao salto alto que nomes como os de Jimmy Choo e Manolo Blahnik. Por que será que o sapato de salto é tão fascinante?

A resposta é clara, porque nos tempos modernos, é uma forma de calçado exclusivamente feminina.Somente as mulheres-e os homens vestidos de mulher, o que pressupõe um exagero das características femininas; os saltos altos fazem a pelve oscilar, o que projeta os seios para frente e salienta as nádegas, eles alongam as pernas, visualmente, o que por sua vez atrai os olhos para cima, para a genitália.Ao contrair os músculos da parte inferior da perna, os sapatos de salto alto afinam a barriga da perna e o tornozelo.O salto alto faz com que pé pareça menor, ao posicioná-lo num ângulo extremo, o que também exagera o arco do peito do pé.Por fim, os saltos altos mudam consideravelmente o andar da mulher.

Deixando o corpo numa posição instável,eles forçam quem os usa a compensar o desequilíbrio com passos e cadeiras que se sacodem,o que ajuda a contrabalançar a instabilidade dos pés,realmente è uma combinação poderosa.

Psiquiatras descrevem a relação entre salto alto e o sexo, sugerindo que as mulheres anseiam pelo salto alto como uma espécie de paliativo para a inveja do pênis, uma conclusão que se baseia na hipótese de que o sapato se assemelha ao órgão sexual masculino.

Mas na pornografia do fetiche do pé, a mulher que calça sapatos de salto alto é, em geral, a participante dominante-a gata com o chicote.

Estudiosos diriam que o fetiche por sapatos está diretamente associado com os pés,pois de todas as formas de simbolismo erótico,o mais freqüente é o que idealiza o pé e o sapato,até mesmo para o amante normal,o pé parece ser uma das partes mais atraentes do corpo; tanto que foi comprovado cientificamente,que a parte do cérebro que se relaciona com as sensações da genitália não se encontra,como seria de se esperar,entre as coxas,e sim bem próximo dos pés.

Assim, no Ocidente e em especial no Oriente sempre se considerou um pé pequeno um pré requisito para atração física;tanto em sua edição de julho de 2000,a Vogue afirmou- numa história ilustrada com uma perna perfeitamente bronzeada calçando uma sandália Jimmy Choo de salto agulha,incrustada de diamantes -que os pés ideais são os de ossos pequenos tamanho 36 ou 37(que são as dimensões mais adequadas para um sapato Manolo Blahnik de salto agulha.Pés maiores são considerados exagerados demais para serem verdadeiramente belos).

O salto agulha pode ser considerado o campeão de preferência fetichista, mas o supra sumo desse modelo de sapato foi inventado nos anos 1950, intitulado de stilleto, foi fabricado por um italiano que criou um salto com miolo de metal, inovação que permitiu os saltos mais finos jamais imaginado.Muito alto, mas de aparência delicada; ele restringe, dificulta o andar e pode se partir sob pressão,entretanto o andar sinuoso que ele provocava era o acompanhamento ideal para as roupas ultrafemininas da época,conclui-se que o salto agulha é a personificação da feminilidade.

Entretanto, tal salto por muito tempo foi considerado uma arma mortífera, embora pareça um grande exagero, mas mesmo assim uma mulher com saltos muito altos e finos de fato parece estar com um objeto mortífero atado aos pés.Como descreveu certa vez uma reportagem da revista Allure, que andar por aí calçando sapatos de salto alto é uma viagem poderosa.È o equivalente feminino do calor concentrado.Com os saltos certos, a mulher se sente invencível.

Certa vez, uma escritora de moda escreveu um ensaio, perguntando por que tantas mulheres adoravam sapatos.As teorias freudianas podem "explicar a excitação que alguns homens experimentam com os sapatos que as mulheres experimentam" argumentava "mas elas não conseguem explicar a excitação que as mulheres experimentam".

O sapato combina imagens masculinas e femininas de muitos níveis diferentes,do salto agulha penetrando o corpo fetichista ao pé deslizando para dentro de um sapato aberto.

A pornografia freqüentemente rotula a mulher de salto alto como uma piranha, dessa forma posicionando-a como um objeto sexual acessível.Ao contrário, o discurso nas revistas de moda feminina se concentram na fantasia de que os homens irão venerar os pés de uma mulher bonita.Igualmente importante é o papel que os sapatos representam na criação de esterótipos de gênero. "Adoro garotas de salto alto",diz o fotógrafo de moda Mario Testino. "Elas podem brincar e usar salto alto ,e nós não".Salto alto é "o símbolo máximo do que é ser mulher",declarou a jornalista Frances Little.E Testino concordou: "è o que diferencia homens e mulheres".

Dessa forma, pude entender finalmente o porque da preferência do príncipe por Cinderela ás filhas de sua madrasta: só ela possuía pés e sapatos de salto tão perfeitos que tirariam qualquer um do sério.

Fonte: www.spiner.com.br

Dicas para escolher o sapato ideal:

Não escolha o sapato pelo tamanho informado na sola.

Priorize o conforto e o equilíbrio que o salto proporciona;

Faça a compra no fim da tarde e à noite, quando seus pés estão mais largos;

Uma boa forma de avaliar se um calçado vai ficar confortável é, ao calçá-lo, verificar se sobram de 0,5 a 1,3 cm entre o dedo maior e o final do sapato;

O calçado não deve ser de material duro;

Se o sapato não é confortável, não o compre apenas levando em conta a beleza do modelo;

Nem largo, nem apertado, o sapato tem que estar confortável, quando experimentado na loja.

Fonte: www.clesio.net

TIPOS DE SALTOS

Anabela

Originado entre os anos 30 e 40, o salto Anabela começa alto no calcanhar e diminui, gradualmente, até a parte dianteira do pé. Possuí inúmeras variações de altura no calcanhar e reaparece com grande freqüência no cenário da moda.

Carrapeta

Tipo de salto largo, inclinado para dentro e adaptado aos mocassins e botinhas tipo Beatles, característico dos anos 60, adotado por grande parte da juventude brasileira.

Luís XV

Tipo de salto de sapato, largo na base e acinturado no meio, adotado no período do reino de Luís XV (1715 – 1774) na França.

Plataforma

O solado plataforma pode ser interiço e totalmente plano ou interiço e levemente arqueado no meio. Pode, ainda, ser formado por um salto e um soldo espesso que acompanha todo o arco do pé e termina na frente do calçado. Já outra versão, conhecida por meia-pata, é composta por um grande salto, sola com espessura normal na altura do arco do pé e parte frontal mais alta. Além das plataformas usadas pelas cortesãs venezianas no século XVI, conhecidas por chapins, pode-se dizer que sapatos e sandálias com plataforma começaram a ser mais usados no século XX, a partir do final dos anos 30, tiveram o seu ápice nos anos 40 e voltaram à cena da moda em plena era Disco, nos anos 70. O solado plataforma já foi fabricado em cortiça aparente ou em madeira e já foi revestido por fios naturais, veludo, seda, plástico e couro. A versão com camadas superpostas de cortiça, no final dos anos 30, foi uma das mais famosas entre modelos criados. Sabrina: O pequeno salto recebeu este nome depois de sua aparição em 1954, no filme Sabrina onde a atriz Audrey Hepburn protagonizava a personagem. Não deve passar dos cinco centímetros de altura, deve ser fino e ter o cabedal delicado. Stiletto: O salto stiletto, também conhecido por salto agulha ou salto lápis, originou-se no início dos anos 50 na Itália e, na época, era confeccionado em madeira e reforçado por uma liga metálica no interior. Nos anos 60, um plástico resistente foi o substituto escolhido para o uso do salto. No pós-guerra, era o complemento ideal para os elegantes tailleurs, e sua altura poderia atingir até 9 centímetros. Embora tal medida tenha sido alvo de muitas críticas à época, o stiletto já chegou aos 12 centímetros no final do século XX e início do século XXI

Fonte: www.lfsapatos.com.br

Mulheres e salto alto: as dores da beleza

Na visão masculina, as mulheres têm uma estranha atração – e grande resignação – pelas dores decorrentes do ritual de ficar bela. Para citar alguns exemplos clássicos, a depilação, cirurgias plásticas estéticas e o salto alto. Ao contrário do que se poderia imaginar, a associação que as mulheres fazem entre beleza, em especial a dos pés, e sofrimento, não é um fenômeno moderno. Na China antiga, só para citar um exemplo, as mulheres amarravam os pés com tecidos muito apertados para que não crescessem. Nessa cultura, pés pequenos eram sinônimo de beleza e delicadeza feminina.

Símbolo da elegância feminina, a invenção do salto alto está ligada a homens. Alguns apontam Leornardo Da Vinci como o inventor, mas a teoria mais aceita credita ao rei Luís XIV – que governou a França em um dos períodos de maior prosperidade, entre 1643 e 1715 – o título de grande responsável pelo uso dos sapatos de salto alto, desenvolvidos pelos artesãos palacianos. O fato é que mulheres e salto alto são indissociáveise elas estão dispostas a pagar um alto preço pelo uso contínuo, um elevado custo monetário e à saúde.

Ao longo do tempo, os saltos muito altos mudam a conformação dos pés, porque alteram a maneira como as mulheres pisam. Ao se equilibrar, a concentração do peso fica restrita aos dedos. Há, ainda, dificuldade na flexão da planta do pé – o que prejudica a circulação e potencializa a tendência a varizes. Além disso, o salto altera a musculatura da perna, tornando os músculos mais curtos na parte traseira e mais longos na frente. Muita gente já deve ter ouvido queixas de mulheres que afirmam que usam sempre salto alto e não sentem desconforto, mas quando trocam o calçado por modelos sem salto ou tênis, sentem dores na panturrilha (também chamada de batata da perna) e nos pés – sinais clássicos do encurtamento do tendão de Aquiles. Dores no joelho, no arco anterior dos pés, joanetes, calos, tendinites, unhas encravadas e danos à coluna, como lordose, são outros problemas ortopédicos causados pelo salto alto.

Uma pesquisa conduzida na Unicamp há alguns anos apontou uma exceção à regra ¬– o salto alto beneficia a circulação. O estudo, que avaliou mulheres que se equilibravam em saltos de sete e 10 centímetros, comprovou que o uso do salto alto diminui a pressão nas veias. Uma pesquisa divulgada no início deste ano – realizada durante dois anos pela urologista dra. Maria Cerruto, da Universidade de Verona, com 66 mulheres com menos de 50 anos e que não estavam na menopausa – mostrou que o uso de sapatos com salto de até sete centímetros pode ajudar a relaxar e, ao mesmo tempo, fortalecer os músculos da região pélvica, relacionados ao orgasmo. O interessante nesse estudo é que a motivação da pesquisadora foi a preocupação com a disseminação de informações não comprovadas que ligavam o uso de saltos a males como a esquizofrenia. Diante disso, a médica resolveu procurar algo de positivo no uso do acessório. Por favorecer a circulação sangüínea no local, acaba por impedir que (as pernas??) fiquem inchadas. Em contrapartida, um estudo da Sociedade Americana de Ortopedia aponta o salto alto como o vilão responsável pelo gasto de cerca de US$ 3 bilhões anuais com cirurgias nos pés.

O que é unanimidade nesse debate é que dificilmente as mulheres vão abrir mão desse acessório que é símbolo de feminilidade – e não importa o quanto elas saibam a respeito dos efeitos nocivos dos saltos altos para a saúde. Diante dessa constatação, me resignei e reuni cinco dicas básicas para diminuir esses riscos e minimizar o impacto negativo. É uma forma simples de render minhas homenagens no Dia Internacional das Mulheres.

1. Alternar a altura do salto

Se em um dia você usou um salto muito alto, no outro prefira modelos de até quatro centímetros de altura. A prática faz com que a musculatura fique em um estágio intermediário. Pode parecer uma dica de moda, mas o fato é que o mesmo modelo (ou salto) não deve ser usado durante muitos dias para preservar a musculatura dos pés.

2. Modelos alternativos

Compre modelos com o bico e salto quadrado, que oferecem mais estabilidade e conforto. As plataformas – mais indicadas pelos ortopedistas – também são recomendadas porque distribuem melhor o peso por toda a extensão da sola.

3. Sapatos baixos (tênis) para dirigir e andar a pé

Crie um novo hábito. Mantenha no carro um modelo confortável e sem salto – tênis são bons exemplos – para dirigir. As mulheres que utilizam o transporte público, podem adotar o mesmo procedimento. Quando chegar ao trabalho troque pelo modelo de salto alto.

4. Massagear os pés

A massagem nos pés, ao final do dia, ajuda a restabelecer a circulação e funciona como uma prevenção a cãibras e dores musculares. Após a massagem, coloque as pernas para cima por alguns minutos.

5. Alongar a panturrillha

Um dos efeitos de saltos muito altos é o processo de encurtamento da panturrilha. Para prevenir esse impacto negativo, transforme o alongamento da panturrilha em um hábito diário. Ao chegar em casa, no final do dia, utilize um degrau para realizar um exercício simples e que ajuda a manter uma boa circulação do sangue no local: coloque metade do pé sobre o degrau e force a outra metade para baixo. Depois, faça movimentos circulares com os pés para o lado esquerdo e direito. Repita a operação nos dois pés, por 10 minutos.

Dr. Fabio Ravaglia

Nenhum comentário:

Postar um comentário