Ocorreu um erro neste gadget

Ola´! Que bom que passou por aqui, seja bem vindo! ! Espero que goste e volte sempre!!!!

"O Segredo da vitória, em todos os setores da vida, permanece na arte de aprender,imaginar,esperar e fazer mais um pouco."
( Chico Xavier - ditado por André Luiz )

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

DIA DO BARBEIRO E DO CABELEIREIRO


06 de Setembro

Profissão de barbeiro resiste ao tempo

Ontem foi comemorado o Dia Nacional do Barbeiro, uma das profissões mais tradicionais do mundo. Apesar da tradição, o barbeiro vem perdendo seu espaço para os grandes e modernos salões de beleza.

Atualmente são poucos estabelecimentos que mantém esse serviço. Quem é acostumado a fazer a barba e o cabelo em barbearias pode ter que mudar seus hábitos, pois os barbeiros estão em extinção.

No Centro de São Vicente por exemplo existem apenas duas barbearias que sobrevivem dos clientes fiéis, que não trocam a perfeição do serviço oferecidos.

Carioca como é conhecido, exerce a profissão de barbeiro há 55 anos, e diz que os barbeiros estão com os dias contados. “Essa profissão está em decadência porque antigamente existiam profissionais sérios e que aprendiam com seus pais, hoje em dia poucas pessoas fazem barba no salão”, conta.

Para ele, que aprendeu o ofício com seu pai, está faltando interesse da nova geração. “Hoje em dia com quatro dias de curso já se abre um salão e se torna barbeiro, sem qualificação”, completa Carioca que trabalha no Salão Rio.

Já João Rodrigues Felix, que exerce a profissão há mais de 60 anos no Salão Valete de Paus, não indica a profissão para ninguém. “Hoje em dia a gente sobrevive e só.

A profissão está acabando pois o que surge são cabeleireiros”, comenta. Segundo ele os jovens não se interessam pelo ofício por não trazer lucros futuros. “Já foi a época que valia a pena ser barbeiro, hoje não dá mais. Para começar tem que procurar uma coisa melhor”.

A tecnologia e a modernização dos aparelhos de barbear também contribuíram para o afastamento dos homens. Hoje em dia muitos homens preferem fazer a sua própria barba, em casa. Os novos salões trazem novas técnicas e tendências que atraem mais clientes.

As barbearias se tornaram obsoletas para muitos, mas a perfeição e o capricho dos antigos barbeiros é incomparável. A habilidade com as lâminas e a rapidez fazem do barbeiro uma profissão única.Mas a profissão de barbeiro é muito antiga. Na Grécia, as imagens utópicas das divindades mitológicas assumiam um ideal de beleza e perfeição corporal. Essa preocupação estética levou à necessidade de um espaço exclusivo e adequado para o tratamento de beleza, incluindo o capilar.

Assim, surgiram os primeiros salões de beleza e a profissão de barbeiro, exclusiva do sexo masculino. Já nessa época, os barbeiros completavam os penteados com falsos cabelos.

Os homens pertencentes à nobreza e os guerreiros, apresentavam cabelos compridos, sustentados por faixas, correntes ou condecorações.

Os adolescentes copiavam os penteados de Apolo e Arquimedes, enquanto os velhos e filósofos usavam cabelos longos e barbas densas, como símbolo de sabedoria. As barbas e bigodes eram cortados com ponta de lança, à imagem de uma sociedade de gladiadores.

Os escravos, que não se distinguiam dos homens livres, apresentavam cabelos curtos e lisos, não se permitindo barbas nem bigodes. Nas antigas culturas, quem pegasse na barba ou cabelo de uma pessoa, era severamente punido, pois significava um atentado à honra e uma intromissão em sua psique.

Assim, a profissão de barbeiro foi associada à manutenção da saúde física do indivíduo.

A sangria era um lucrativo setor desse ofício. Nos séculos XVI e XVII, os barbeiros foram acusados de praticar a sangria despudoradamente.

Só no século XIX, o oficio de médico e de cirurgião dentista foi separado da profissão de barbeiro, porém, alguns continuaram a atuar como dentista até bem pouco tempo.

No século XX, surge a figura feminina nos salões de barbeiros, tanto no exercício da profissão quanto na clientela. Os salões tornaram-se unissex e parece que essa tendência veio para ficar por muito tempo.

Fonte: www.jornalvicentino.com.br

As atividades dos barbeiros que conhecemos hoje, nem sempre foram as mesmas. No Grande Dicionário Português ou Thesouro da Língua Portuguesa do Frei Domingos Vieira, de 1871, as atividades do barbeiro eram divididas em três áreas: o fazer as barbas e cortar os cabelos; o barbeiro de lanceta, conhecido como sangrador, que aplicava sanguessugas ou ventosas para realizar sangrias; e o barbeiro de espadas.

Essas três atividades possuem algo em comum, o domínio do mesmo instrumento de trabalho: as navalhas e as lâminas. O século XX nos colocou mais próximos dos barbeiros e cabeleireiros de hoje. Em 1910, Helena Rubinstein abriu o primeiro salão de beleza do mundo, em Londres. Este foi o primeiro passo para os modernos e capacitados profissionais da beleza contemporânea que, além de exercerem seu ofício, acabam muitas vezes exercendo também o papel de confidentes.

Fonte: UFGNet

Sob o couro cabeludo, que tem cerca de 400 cm2, nascem e crescem de 80.000 a 120.000 fios de cabelo. Em 30 dias, o fio cresce de 1 a 1,5cm e seu diâmetro varia de 0,03 a 0,15 milésimo de milímetro.

O crescimento do cabelo nos seres humanos é contínuo. Sua renovação é normal e se dá em 2 fases:

1) Anágena: nessa fase, o cabelo encontra-se firme em sua popila e bulbo. Nos cabelos, essa fase dura de 2 a 6 anos; nas sobrancelhas, de 4 a 8 semanas; nos cílios, de 4 a 5 semanas; e na barba, 10 meses.

2) Catágena: esse tempo compreende entre a fase de crescimento e de repouso, e dura, aproximadamente, 2 semanas. Nessa fase, apenas 5 a 10% dos fios estão no processo normal e pode-se perder, diariamente, entre 70 a 100 fios de cabelo.

O cabelo fetal é de consistência sedosa e chama-se veluz. Entre o 7º e 8º mês de gestação, acontece a primeira queda do cabelo e crescem os fios veluzes suaves, ganhando, nesse ponto, o pigmento. Durante os 30 meses de vida, cresce o cabelo mais grosso, com pigmento natural, chegando ao completo desenvolvimento aos 10 anos de idade.

O envelhecimento produz um retrocesso no cabelo. Quando o cabelo cai, nasce o cabelo veluz instável. Geralmente ocorre após os 40 anos: perde-se o cabelo e a cor.

Na Grécia antiga, as imagens utópicas das divindades mitológicas assumiam um ideal de beleza e perfeição corporal. Essa preocupação estética levou à necessidade de um espaço exclusivo e adequado para o tratamento de beleza, incluindo o capilar. Assim, surgiram os primeiros salões de beleza e a profissão de barbeiro, exclusiva do sexo masculino.

Já nessa época, os barbeiros completavam os penteados com falsos cabelos. Os calvos, usavam cabelos artificiais e cabeleiras (perucas).

Os homens pertencentes à nobreza e os guerreiros, apresentavam cabelos compridos, sustentados por faixas, correntes ou condecorações. Os adolescentes copiavam os penteados de Apolo e Arquimedes, enquanto os velhos e filósofos usavam cabelos longos e barbas densas, como símbolo de sabedoria.

As barbas e bigodes eram cortados com ponta de lança, à imagem de uma sociedade de gladiadores.

Os escravos, que não se distinguiam dos homens livres, apresentavam cabelos curtos e lisos, não se permitindo barbas nem bigodes. Nas antigas culturas, quem pegasse na barba ou cabelo de uma pessoa, era severamente punido, pois significava um atentado à honra e uma intromissão em sua psique.

Assim, a profissão de barbeiro foi associada à manutenção da saúde física do indivíduo.

Os salões dos barbeiros ofereciam também banho quente, sauna e massagem, cortavam unhas dos pés e das mãos e também respondiam pela saúde do indivíduo, entretanto, esses os serviços eram pagos pelo público.

A sangria era um lucrativo setor desse ofício. Nos séculos XVI e XVII, os barbeiros foram acusados de praticar a sangria despudoradamente.

Só no século XIX, o oficio de médico e de cirurgião dentista foi separado da profissão de barbeiro, porém, alguns continuaram a atuar como dentista até bem pouco tempo.

No século XX, surge a figura feminina nos salões de barbeiros, tanto no exercício da profissão quanto na clientela. Os salões tornaram-se unissex e parece que essa tendência veio para ficar por muito tempo.

Fonte: www.trabalhonota10.com.br

3 comentários:

  1. "Não é função de Deus criar ou não criar as condições ou circunstâncias de sua vida.
    Deus criou você à Sua imagem e semelhança. Você criou o resto.Parabéns

    ResponderExcluir
  2. Tudo lindo aq
    Desejo que sua noite
    tenha o brilho dos seus sonhos!
    E que Deus te abençõe muito
    hoje e sempre!
    Bejos no coração
    Vania Antunes

    ResponderExcluir
  3. Aqui temos uma rica fonte de coisas interessantes,parabéns pelo blog,
    tá muito bonito.
    Que Deus a abençoe sempre!
    Bjoss,
    Cida.

    ResponderExcluir