Ocorreu um erro neste gadget

Ola´! Que bom que passou por aqui, seja bem vindo! ! Espero que goste e volte sempre!!!!

"O Segredo da vitória, em todos os setores da vida, permanece na arte de aprender,imaginar,esperar e fazer mais um pouco."
( Chico Xavier - ditado por André Luiz )

domingo, 28 de março de 2010

DIA DO TEATRO 27 de março


É de praxe afirmar que o teatro começou na Grécia. Mas, antes mesmo dos gregos, sabe-se que aconteciam manifestações teatrais na China antiga: os seguidores de Buda expressavam seus sentimentos religiosos através do teatro. Também nos tempos pré-helênicos - século dezenove antes de Cristo -, os habitantes da ilha de Creta, na Grécia, louvavam seus deuses com representações cênicas.

Se formos um pouco mais longe ainda e entendermos o teatro como a imitação de uma ação, encontraremos já no homem primitivo o ato de imitar (como forma de representar as forças da natureza, forças essas que não compreendia e entendia como deuses).

Aliás, tanto as expressões religiosas quanto o drama (e drama entendido aqui como ação imitativa) têm por objetivo provocar a consciência, a renovação das forças do homem para encarar o mundo. No drama, isso representaria uma experiência de desabafo e, nas práticas religiosas, de esclarecimento da vida.

Teatro Grego e Medieval

Na Grécia clássica, as encenações teatrais faziam parte de uma festa religiosa. E cresceu a partir das celebrações dedicadas a Dyonisos (o Baco dos romanos, deus do vinho).

Tanto que o teatro mesmo, o local da encenação, era sempre num lugar consagrado a esse deus, geralmente colado num declive de colina escavado, em formato semicircular, de frente para o mar ou para as montanhas.

O teatro medieval, por sua vez, tinha como objetivo a salvação das almas dos fiéis.

É a partir do Renascimento que os temas profanos começam a imperar, passando depois pelo movimento romântico, realista, naturalista, simbolista, expressionista, surrealista, existencialista, até os tempos atuais.

Quem quer ser ator?

A atriz Tônia Carrero diz que, para ser ator, só talento não basta, é preciso, acima de tudo, ser persistente, perseverante. Para quem pensa seguir o caminho das pedras - das Artes Cênicas -, deve saber desde já que vai ter de mostrar nas provas do vestibular se possui mesmo dom para a coisa. Há um exame de aptidão.

Uma vez no curso, com duração de quatro anos, o aluno terá mais aulas práticas do que teóricas. Técnica vocal, expressão corporal, interpretação dramática e caracterização cênica fazem parte da grade curricular.

Depois, poderá atuar no teatro, em casas noturnas, na TV (comerciais ou novelas), em eventos temáticos. Mas deve estar preparado para a concorrência com os atores sem formação universitária.

Outras áreas de atuação, além do trabalho de ator propriamente dito são:

como cenógrafo, organizando o espaço cênico
como diretor, orientando os atores
como dramaturgo, escrevendo peças, seriados e telenovelas
como dublador, substituindo a fala de personagens de filmes estrangeiros
como produtor, cuidando da parte financeira e contratando mão-de-obra
como teórico, escrevendo livros didáticos ou crítica teatral

Como encontrar trabalho

As cooperativas teatrais, como a Cooperativa Paulista de Teatro, têm se mostrado um caminho facilitador para o ator iniciante. Elas costumam ser consultadas por agências de publicidade que buscam profissionais para atuarem em comercais de TV. Os comerciais, por sua vez, se apresentam como uma vitrine, um trampolim. Muitos atores de novelas começaram suas carreiras fazendo comercial para televisão.

O mercado de dublagem vem crescendo muito. Nessa área, os atores precisam ter registro profissional e algum curso em escolas especializadas (a maioria no eixo Rio-São Paulo). Com o aumento da TV por assinatura, a procura pelo dublador praticamente dobrou.

As oportunidades de se atuar em teatro vem aumentando fora desse eixo. Uma prova disso é a seleção promovida todo ano, em Salvador, pela Fundação Cultural e o Sindicato dos Artistas. Os grupos de teatro escolhidos recebem incentivo financeiro para montar seus espetáculos.

Fonte: www.ibge.gov.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário