Ocorreu um erro neste gadget

Ola´! Que bom que passou por aqui, seja bem vindo! ! Espero que goste e volte sempre!!!!

"O Segredo da vitória, em todos os setores da vida, permanece na arte de aprender,imaginar,esperar e fazer mais um pouco."
( Chico Xavier - ditado por André Luiz )

quinta-feira, 10 de março de 2011

HISTÓRIA DO TELEFONE


TELEFONE

Meio de comunicação verbal com emprego da corrente elétrica. As ondas do som da voz entram no bocal do fone e agitam um microfone que contém carvão granulado por trás de uma delgada lâmina de metal, o diafragma. As vibrações do diafragma causam a compressão dos grânulos, o que lhes altera a resistência à passagem da corrente elétrica. Daí resulta uma corrente variável que é levada por um fio condutor à extremidade oposta da linha, onde passa no auricular de outro telefone, para dentro de um eletro-imã, e faz vibrar um diafragma de aço, fixado à frente, de acordo com as variações da corrente. As vibrações do diafragma do auricular são transformadas em sons idênticos aos que, originariamente, incidiram sobre o microfone do bocal no outro extremo da linha. (Verbete extraído da "Moderna Enciclopédia Pongetti Júnior para a Juventude - 1969).

Esta era a definição para o telefone há 30 anos atrás, hoje, modernas células fono-captoras cumprem o papel que à época era feito pelo carvão.





Antes de 1900, o brasileiro Pe. Roberto Landell de Moura conseguiu transmitir e receber mensagens faladas com um aparelho rudimentar que funcionava sem o uso de fios. Foi ele o inventor da válvula de três pólos ou triodo, com o qual era possível modular uma corrente elétrica e transmití-la sem fios a longas distâncias.









A HISTÓRIA DO TELEFONE

1876 - 10 de março

Em Boston , Massachussetes, Alexander Graham Bell, nascido na Escócia, utiliza seu invento para transmitir uma mensagem ao seu auxiliar Thomas Watson: era o Telefone ! . Em maio desse ano, Alexander Graham Bell, com seu invento já patenteado, levou o telefone para a Exposição Internacional comemorativa ao Centenário da Independência Americana, na Filadélfia, colocando-o sobre uma mesa à espera do interesse dos juízes, o que não correspondeu às expectativas. Dois meses após, D. Pedro II, Imperador do Brasil, chega em visita à Exposição. Tendo, há tempos, assistido a uma aula de Graham Bell para surdos-mudos, saudou o jovem professor. Dom Pedro II abriu caminho para a aceitação do invento. Os juízes começaram a se interessar. O Telefone foi examinado. Graham Bell estendeu um fio de um canto a outro da sala, dirigiu-se ao transmissor e colocou D. Pedro na outra extremidade. O silêncio era total. D. Pedro tinha o receptor ao ouvido quando exclamou de repente: Meu Deus, isto fala ! Menos de um ano depois, já estava organizada, em Boston, a primeira Empresa Telefônica do mundo, a Bell Telephone Company, com 800 telefones.

1901

Pe. Landell de Moura testa seus inventos e registra no Serviço de Patentes dos Estados Unidos - U.S. Patent Office, três inventos originais: "Um transmissor de ondas", um tipo especial de "telégrafos sem fios" e um modelo pioneiro de "telefone sem fios". .









O TELEFONE NO BRASIL

1879 - 15 de novembro

Surgia, no Rio de Janeiro, o primeiro telefone, construído para D. Pedro II nas oficinas da Western and Brazilian Telegraph Company. Foi instalado no Palácio de São Cristóvão, na Quinta da Boa Vista, hoje, Museu Nacional. Foi autorizada a organização da Cia. Telefônica Brasileira através do Decreto Imperial nº 7.539.

1883

O Rio de Janeiro já possuía cinco estações de 1000 assinantes cada uma e, ao terminar o ano, estava pronta a primeira linha interurbana ligando o Rio de Janeiro a Petrópolis.

1888 - 13 de outubro

Estava formada a Telephone Company of Brazil, com capital de US$ 300 mil, integralizado por 3 mil ações de US$ 100.

1910

Foi inaugurado o primeiro cabo submarino para ligações nacionais entre Rio de Janeiro e Niterói. Nessa época, 75% dos telefones instalados no país pertenciam à Rio de Janeiro and São Paulo Telephone Company e, o restante, distribuía-se por outras 50 empresas menores.

1923 - 11 de janeiro

A Rio de Janeiro and São Paulo Telephone Company passou a denominar-se Brazilian Telephone Company, facultada a tradução do nome para o português. 28 de novembro - A Brazilian Telephone Company passou a denominar-se Companhia Telefônica Brasileira - CTB. Foi instalada, em São Paulo, a primeira central automática do País, que dispensava o auxílio da telefonista.

1932 - 28 de janeiro

Foram inaugurados os circuitos rádio telefônicos Rio de Janeiro - Buenos Aires, Rio de Janeiro - Nova York e Rio de Janeiro - Madri.

1939 - 27 de julho

Foi instalado no país, o 200.000º telefone automático pela Companhia Telefônica Brasileira - CTB.





1956 - 28 de novembro

Foi nacionalizada a CTB, fixando sua sede no Rio de Janeiro, com serviços extensivos a São Paulo. Introduzido o sistema de micro-ondas e de Discagem Direta a Distância - DDD.

1960

Inicia-se, no Brasil, a fabricação de peças e equipamentos telefônicos.

1962 - 27 de agosto

Foi criado o Código de Telecomunicações do Brasil através da Lei 4.117. A Empresa Brasileira de Telecomunicações - Embratel foi criada com a tarefa de construir o Sistema Nacional de Telecomunicação, e explorar as telecomunicações de âmbito internacional e interestadual, empregando recursos provenientes do Fundo Nacional de Telecomunicações, constituído de uma taxa de 30% sobre as tarifas telefônicas.

1967 - 28 de fevereiro

Criado o Ministério das Comunicações, tendo como patrono o Marechal Cândido Mariano da Silva Rondon.





1972 - 11 de julho

O Poder Executivo foi autorizado a constituir a Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebrás, através da Lei 5972 que instituía a política de exploração de serviços de telecomunicações. A partir daí, a responsabilidade pelo funcionamento de todo o sistema de telecomunicações do Brasil coube à Telebrás (empresa holding), à Embratel e às empresas estaduais que foram criadas através da incorporação formal dos serviços existentes no território nacional.1997 - 16 de julho

Sancionada pelo Presidente da República a Lei Geral das Telecomunicações - LGT nº 9.472 que: regulamenta a quebra do monopólio estatal do setor; autoriza o governo a privatizar todo o Sistema Telebrás e cria a Anatel - Agência Nacional de Telecomunicações, com a função de órgão regulador das Telecomunicações. É uma entidade integrante da Administração Pública Federal indireta, submetida a regime autárquico especial e vinculada ao Ministério das Comunicações.





1998 - 29 de julho

De acordo com a nova Lei Geral das Telecomunicações, acontece a privatização do Sistema Telebrás na Bolsa de Valores do Rio de Janeiro. O Sistema Telebrás, avaliado em R$ 13,47 bilhões e vendido por R$ 22 bilhões, foi dividido em 12 empresas:

Na telefonia fixa

Tele Centro Sul Participações S.A., Tele Norte Leste Participações S.A. e Telesp Participações S.A.

Na telefonia móvel

Tele Norte Celular, Tele Centro Oeste Celular, Tele Nordeste Celular, Tele Leste Celular, Telesp Celular, Tele Sudeste Celular, Telemig Celular e Tele Celular Sul.

Embratel

Operadora de longa distância.





Fonte: www.bricabrac.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário