Ocorreu um erro neste gadget

Ola´! Que bom que passou por aqui, seja bem vindo! ! Espero que goste e volte sempre!!!!

"O Segredo da vitória, em todos os setores da vida, permanece na arte de aprender,imaginar,esperar e fazer mais um pouco."
( Chico Xavier - ditado por André Luiz )

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Dia do Automóvel


13 de Maio
O DER - Departamento de Estradas de Rodagem foi criado em 02 de julho de 1934, através do Decreto nº 6529.

Com grande autonomia técnica, o Departamento conseguiu algumas mudanças fundamentais através de contratos firmados com o IPT - Instituto de Pesquisas Tecnológicas, criado na mesma época para realizar ensaios em materiais e estudos de obras de arte.

Quem percorre hoje as grandes rodovias do país não pode ter idéia das dimensões do trabalho realizado.

Fica difícil imaginar o que foi, no início deste século, o surgimento das primeiras estradas de carro e o entusiasmo dos aventureiros pelos novos caminhos que estavam sendo traçados.

As longas viagens a pé, a cavalo ou de carroça, diligência e carruagem por vias precárias e poeirentas fizeram parte da paisagem de um Brasil que hoje parece muito distante.

A Estrada Imperial, que liga a cidade de Mangaratiba a Rio Claro, através da Serra do Piloto, possui cerca de 40 quilômetros de extensão e é considerada a primeira estrada de rodagem do Brasil, construída por D. Pedro II em 1856, para atender ao escoamento da produção de café do Vale do Paraíba para o Porto de Mangaratiba.

Para completar o quadro, os transportes no mundo sofreram uma grande revolução quando surgiram os primeiros automóveis.

Como o próprio nome já indica, automóvel significa a capacidade de se movimentar sozinho, a partir de propulsão própria, sem precisar de reboques (ao contrário das carruagens e carroças que prescindiam de cavalos, por exemplo).

A idéia de conduzir um veículo sobre rodas movido por bateria, vapor ou combustível fascinou os homens.

A possibilidade de se alcançarem grandes velocidades levou ao aperfeiçoamento do desempenho dos veículos, que hoje são mais leves, aerodinâmicos e correm muito mais do que os primeiros automóveis.

O número de carros particulares sofreu um aumento gigantesco nos últimos anos.

Com isso, as estradas enfrentam o desgaste pelo trânsito intenso de veículos, e o motorista enfrenta congestionamentos caóticos ao longo do dia.

A partir daí podemos perceber a enorme importância da construção de estradas e a constante melhoria de condições das mesmas.

Afinal, o propósito de interligar pessoas e lugares não pode enfrentar obstáculos!

Fonte: Departamento de Estradas de Rodagem

Entre todas as invenções, o automóvel sempre terá um lugar de destaque. A história do século XX está intimamente ligada a esse objeto de desejo de tantas pessoas. Se na origem do automóvel estava a vontade de criar um meio de transporte que permitisse à pessoa deslocar-se de forma fácil, rápida e cômoda, hoje o automóvel é muito mais do que isso, pois é encarado como um símbolo de status e estilo de vida do seu proprietário.

O primeiro automóvel da história foi um veículo construído por Joseph Cugnot, em 1771. Tinha três rodas e era movido a vapor. Podia atingir a velocidade de 3,5 km/h. Em 1862, Étienne Lenoir desenvolveu o primeiro motor de combustão interna, utilizando gás. Seguindo essa seqüência de sucessos nos experimentos, os alemães Karl Benz e Gottlieb Daimler construíram, em 1889, aquele que é considerado o primeiro carro moderno: um automóvel movido a gasolina, já preparado para ser comercializado
No entanto, a popularização do automóvel só aconteceu em 1908, quando o norte-americano Henry Ford desenvolveu o famoso Ford T, chamado de "Fordinho", que apresentava um custo muito mais reduzido, devido à concepção da linha de montagem idealizada por Ford. Em cinco anos foram vendidas 250 mil unidades, mais do que todos os carros que circulavam antes da sua invenção. Foi esse o modelo que serviu de base à criação dos atuais automóveis.

Utilizada até hoje, a linha de montagem funciona de maneira a economizar tempo e, conseqüentemente, reduzir o custo do produto final. Cada funcionário, ou um grupo deles, é responsável pela instalação de uma das partes do veículo, que segue na "linha" até outro grupo, responsável por outra parte, e assim sucessivamente, até que o carro fique completo.

A partir daí, o automóvel ganhou definitivamente as ruas, onde várias marcas e modelos disputam a atenção do consumidor. Algumas delas entraram para sempre na história do automóvel. O Volkswagen, ou seja, "carro do povo", o Citroën 2Cv e o Fiat 600 são exemplos de carros que atingiram enorme popularidade, com fãs-clubes em todo o mundo.

A história do automóvel, no Brasil, apresenta algumas curiosidades e momentos pitorescos. Em 1893, as pessoas se comprimiam na rua Direita, em São Paulo, para ver de perto Henrique Santos Dumont, irmão do Pai da Aviação, "pilotando" seu carro aberto, movido a a vapor. Em 1897, no Rio de Janeiro, o povo se surpreendeu com o primeiro automóvel da cidade, cujo dono era José do Patrocínio, o famoso Tigre da Abolição, que dirigia seu veículo a vapor importado da França. Em 1956, Juscelino Kubitschek implantou a indústria automotiva no Brasil, mediante a criação do Grupo Executivo da Indústria Automobilística (Geia), fato que concorreu para o desenvolvimento industrial do país e crescimento e fortalecimento dos sindicatos de classes.

Fonte: www.paulinas.org.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário